Política Segunda-Feira, 21 de Maio de 2018, 10h:13 | - A | + A

ACUSADO NA BERERÉ

Afirmando ser inocente, Wilson Santos diz que denúncia do MP é uma "questão pessoal"

Segundo o deputado, falta moderação ao Ministério Público que não teria provas contra ele.

LAICE SOUZA

DA REDAÇÃO

 

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB), que está no rol de denunciados da Operação Bereré, afirmou que não tem qualquer envolvimento no esquema de desvio de recursos públicos do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran). Segundo o deputado, não há qualquer indício de envolvimento dele no processo que justifique a acusação.

 

Para o deputado, o Ministério Público Estadual, autor da ação penal, "não analisou os fatos e sim a pessoa do 'Wilson'". "Estou sentindo que é uma questão pessoal. Os fatos falam por si. Wilson não tem absolutamente nada a ver com a roubalheira no Detran  com a gestão Silval", defendeu.


O nome de Wilson Santos foi relacionado no processo, pelo irmão dele, Elias Pereira Santos, ter recebido a quantia de R$ 12.600, 00 (Doze mil e seiscentos reais), em quatro cheque emitidos pelo deputado Eduardo Botelho (DEM), no ano de 2015.


"Nesse caso específico não estão julgando a mim, porque os fatos não levam a nenhuma dúvida. Eu nunca recebi cheque de Botelho, absolutamente nada. Elias tem relação antiga com Botelho, os dois têm casa limítrofes na Chapada e me parece que eles construíram um muro e que parte desse dinheiro era para construção  desse muro. Uma relação deles e que se expliquem pra lá. Elias tem 51 anos de idade, CPF, endereço distinto do meu", ponderou.


O deputado também afirmou que está faltando "moderação aos promotores de Justiça", que são pessoas experiente. "Os promotores que chegam em Cuiabá já são rodados, 10, 12 anos de estrada. A Operação Bereré merece crédito. Houve roubo no Detran? Sim. Mas dizer que Wilson Santos roubou R$ 12.600,00 do Detran. Dizer que a mulher de Botelho roubou e fez parte de esquema e da quadrilha. Alto lá, mais respeito", disse, durante entrevista ao Jornal da Capital, da Rádio Capital FM, na manhã desta segunda-feira (21).

 

Além de Wilson Santos, outras 57 pessoas também foram acusadas na ação penal. Todas teriam praticados crimes, como de participação de organização criminosa e recebimento de dinheiro público desviado dos cofres públcios, por meio de empresas de fachadas e pagamento de propina. Além de Wilson, outros seis deputados são acusados de participação. Inclusive, o deputado Mauro Savi (DEM), se encontra preso, acusado de ser um dos líderes do esquema criminoso.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet