Política Segunda-Feira, 12 de Março de 2018, 23h:29 | - A | + A

POR R$ 5 BILHÕES/ANO

MT desistiria de taxar agronegócio se União criasse fundo para compensar Lei Kandir

O governador Pedro Taques cobrou que a União faça sua parte e não apenas pague uma "merreca de FEX"

SÍLVIA DEVAUX

DA REDAÇÃO

 

Somente a criação de um fundo federal que compense a desoneração da Lei Kandir faria o governador Pedro Taques desistir da taxação do agronegócio. Foi o que ele revelou durante o evento Gazeta Agro, realizado nessa segunda-feira (12), em Mato Grosso, para debater políticas agrícola e econômica.

 

"Eu defendo que a União crie um fundo para compensar a desoneração da Lei Kandir. Aí não há porque se falar em taxação do agronegócio", assinalou Taques que alega perda de arrecadação por conta da isenção do do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nos produtos e serviços destinados à exportação.

 

O fundo federal sugerido por Taques, como ele mesmo enfatizou, resolveria os problemas financeiros do Estado e dos municípios que passariam a contar com pelo menos R$ 5 bilhões e não apenas os R$ 500 milhões do FEX (Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações) que é o que têm direito.

 

"O Brasil precisa olhar de forma diferenciada para o Mato Grosso. Contribuímos muito com o País", disse ainda o governador ao exigir que a União faça sua parte e não apenas pague uma "merreca de FEX".

 

Ele lembrou que o estado segura a balança comercial brasileira, mas não vê o País contribuir em nada com o Mato Grosso.

 

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet