Política Segunda-Feira, 16 de Abril de 2018, 16h:13 | - A | + A

AGORA NA POLÍTICA

Selma Arruda diz que Judiciário a frustrou por não ver "consequências práticas"

Na disputa eleitoral, ex-juíza diz que frustração é por sentenças sem efeito prático

LAICE SOUZA

DA REDAÇÃO

 

Candidata a disputar uma vaga no Senado Federal, a juíza aposentada Selma Arruda (PSL), que por vários anos jurisdicionou na Vara Especializada contra o Crime Organizado em Cuiabá, afirmou que o Judiciário a "frustrou muito". O desabafo foi realizado em entrevista a TV Brasil Oeste, nesta segunda-feira (16).

 

Segundo Selma, o problema maior é que há todo um trabalho no decorrer do processo, ouvir testemunhas, analisar provas, são anos em um caso para "não ter consequência prática. Você se frustra".

 

"Não tem consequência prática do dinheiro devolvido para o erário, cumprindo uma pena de prisão, aquilo frustra muito", disse.

 

Selma Arruda ganhou notoriedade após assumir a Vara contra o Crime Organizado, principalmente, quando começou a movimentar processos que estavam há anos parados e a sentenciar e condenar ex-políticos a prisão, como o caso do ex-deputado José Geraldo Riva e, mais recentemente, o ex-governador Silval da Cunha Barbosa.

 

No início do mês, Selma deixou a magistratura para se dedicar a vida política. O partido escolhido por ela foi o PSL do deputado federal Jair Bolsonaro, que é candidato ao cargo de presidente da República. A ex-juíza vem demonstrando afinidades com algumas ideias do presidenciável, como a legalização do porte de arma para o cidadão comum.

 

Inclusive, se for eleita, ela já afirmou que vai lutar pela regularização do porte. "Tem que regularizar isso para que as forças fiquem pareias", disse, se referindo a análise que faz sobre o fato de que o assaltante tem nas mãos a arma e o cidadão comum não.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet