icon clock h

Terça-Feira, 30 de Março de 2021, 11h:51 | - A | + A

COMBATE AO CORONAVÍRUS

A corajosa decisão para salvar vidas

Antero Paes de Barros

A desembargadora Maria Helena Póvoas, presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, determinou o cumprimento do decreto do governador Mauro Mendes nos 50 municípios com situação mais grave em Mato Grosso. A própria desembargadora veio a público para explicar a decisão fazendo menção ao momento gravíssimo vivido em Mato Grosso. Nesta segunda-feira (29.03), no dia da decisão, foram mais 115 mortes no Estado em decorrência da doença.

 

Infelizmente, algumas entidades de classe, como o CDL por exemplo, disseram que enquanto não houver uma decisão da Prefeitura de Cuiabá a orientação é para que o comércio funcione totalmente, num claro sinal de desobediência ao decreto. Também o prefeito de Campo Novo do Parecis, Rafael Machado (PSL), afirmou que apesar de estar relacionado entre os 50 mais graves no Estado, o decreto não será cumprido em seu município. O procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, solicitou o afastamento do prefeito pelo crime de desobediência. Caberá ao TJ e à desembargadora julgar o pedido de afastamento.

 

Cabe agora ao governador Mauro Mendes determinar à força policial de Mato Grosso o cumprimento do decreto, se necessário com o fechamento de algumas lojas no Estado.

 

Foi nessa divisão dos brasileiros que investiu o presidente Bolsonaro. Ele é o único e maior responsável pela grande maioria dos mais de 314 mil mortos no país. Não coordenou, como era sua obrigação fazê-lo, a pauta para evitar as mortes. E ainda criou o falso dilema de salvar vidas, ou salvar a economia. Sem salvar vidas não teremos economia para ser salva. As duas coisas caminham juntas, menos na cabeça do negacionista maior que envenenou a nação.

 

Neste momento, os homens e mulheres de bem devem apoiar a corajosa decisão da desembargadora Maria Helena Póvoas, que a tomou para salvar vidas dos brasileiros que aqui vivem e também para que pudéssemos recuperar a economia.

 

O poder Legislativo – leia-se Assembleia – que num primeiro momento se omitiu, está na hora de voltar ao debate para ampliar os benefícios sociais do governo aos comerciantes e pessoas com maior dificuldade e tornar menos dolorida as medidas amargas, mas necessárias que precisaram ser tomadas.

 

É com coragem e clareza de decisão que vamos salvar vidas. Esse o principal bem a ser protegido pelo Estado. Sinto orgulho de, como cuiabano, ser representado por essa decisão, corajosa, sensata da desembargadora Maria Helena. Na presidência do TJ, honrou seu extraordinário pai, saudoso Lenine Póvoas.

 

Antero Paes de Barros é radialista, jornalista e advogado. Foi vereador de Cuiabá, deputado constituinte e senador da República.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS




Informe Publicitário






NEWSLETTER

Cadastre-se e fique por dentro dos últimos acontecimentos e relatos do pnbonline.