Artigos Segunda-Feira, 09 de Setembro de 2019, 09h:36 | - A | + A

ARTIGO

Cota Zero, uma necessidade dos rios de MT

Antero Paes de Barros

O deputado Eduardo Botelho criou uma comissão com sete deputados, que terá inclusive a incumbência de visitar outros Estados da Federação, como o Mato Grosso do Sul por exemplo, para só depois se manifestar sobre o projeto Cota Zero enviado pelo governador do Estado.

 

Mauro Mendes está empenhado na aprovação do projeto e acredita que a lei que busca proibir o transporte, armazenamento e comercialização de peixes vai repovoar os rios e incentivar o turismo. 

 

O governador está convicto de que tem que acabar com a pesca predatória. A medida proposta por ele vai atingir em cheio os pescadores profissionais, pois são estes que a praticam no Estado. A pescaria com o anzol feita pelos amadores jamais teria o poder de diminuir a população de peixes nos rios de Mato Grosso. O problema é a pesca predatória mesmo. 

 

E o projeto de Mauro Mendes enfrenta o assunto e resolve vedar essa prática, inclusive e principalmente para os pescadores profissionais. Resta apenas esperar do Estado, projetos sociais que garantam a sobrevivência dos ribeirinhos profissionais e não dos industriais que os exploram.

 

Tenho mania de pescador amador. Aproveitando alguns dias de férias fui ao melhor lugar do Pantanal para pescar e o governador tem razão está mesmo difícil pegar peixe. Em três dias de pescaria pegamos muito pouco. E olhe que fomos no pesqueiro do Neco, que fica no Porto Jofre, na nossa divisa com Corumbá, MS. No mesmo local onde nada pegamos agora, em 1990 quando terminava meu mandato de deputado federal fui lá com alguns amigos e num dia só pegamos, de anzol, mais de cinquenta pintados. Esses tempos acabaram.

 

O governador acredita que com essa lei o rio será repovoado e muitos turistas vão voltar a Mato Grosso para a pesca esportiva, gerando muitos empregos nessa indústria sem chaminé.

 

É preciso reconhecer que a sociedade está dividida. Por causa disso, a Assembleia também. O projeto precisa ser muito debatido, mas creio que merece a aprovação. Nossos rios agradeceriam muito. O Estado teria que se comprometer com duas coisas; garantir a fiscalização para que a lei funcione e resolver socialmente o problema dos pescadores profissionais. Já que não poderão pescar para comercializar viverão do que? É hora de levantar quantos são, acabar com os picaretas que tem carteirinha de profissionais, mas exercem outras atividades e resolver a situação deles, com empregos, ou financiamento por parte do Estado de tanques de piscicultura para que eles possam sobreviver.

 

Resolvida a questão de sobrevivência dos pescadores profissionais, a lei é necessária.

 

E que chegue o tempo do turismo!

 

* Antero Paes de Barros é jornalista e ex-senador da República

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Gustavo Mendes - 10/09/2019

Os bilogos todos contra o projeto, os outros estados que aprovaram a isso tiveram s malefcio e ainda vem esse vendido ter a cara de pau de dizer que algo bom pro povo. Ningum aqui burro no ningum aqui tem problema de memria

Eduardo botelho Neves - 09/09/2019

Esse projeto vai acabar com uma tradico a pescaria e vai falir com as cidades que margeiam o rio Cuiab. O povo ta vendo....

Ana Celma - 09/09/2019

As reportagens, os estudos, os bilogos e pesquisadores todos contra esse projeto que no faz sentido se olharmos os dados das pesquisas e o efeito que teve nos outros estados, isso s da dinheiro pra empresa de "familiar" de poltico. Uma vergonha seu posicionamento.

Marcelo Ribeiro - 09/09/2019

S quer beneficiar os amigos, ridculo o posicionamento. Zero argumentos.

4 comentários

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet