Artigos Quinta-Feira, 27 de Agosto de 2020, 09h:22 | - A | + A

POLÍTICA

DEM - O erro estratégico das indefinições

Halison Lasmar

O partido do governador Mauro Mendes, notório e decisivo na cena política das eleições passadas, deixou que o imbróglio das disputas internas, indefinições aditivadas pela pandemia e a guerra de vaidades de seus dirigentes antigos, que se acham  donos da sigla, colocassem o partido na berlinda das eleições municipais.

 

Até hoje empurrando com a barriga, sem definir o candidato à Prefeitura de Cuiabá, tendo como tábua de salvação o jovem presidente estadual da agremiação, o inexpressivo eleitoral Fábio Garcia (quem diz isso são as pesquisas, 1%), e ainda ensaiando no passado recente a possibilidade do sem graça Gilberto Figueiredo também ser candidato e apagando a luz do emergente Mauro Carvalho, o DEM atirou no pé, ricocheteou no coração e explodiu a cabeça, hoje a propalada agremiação  ficou de coadjuvante... Estão perdidos no cerrado político.

 

Mauro Carvalho se tivesse saído em tempo, articulado politicamente (ele tem esse acesso diário e goza da simpatia de muitos), imposto seu nome e mostrasse que a gestão vencedora desse governo passou também por ele, seria talvez a maior e mais paupável chance do partido vencer as eleições em Cuiabá... Não quis, não teve espaço, tremeu... Só a história contado no seu livro de memórias vai revelar os motivos.

 

Representar o novo, o eficiente e o dedicado seria fácil para Maurinho, estes adjetivos são reais, aconteceram e as provas da afirmação estão estampadas nos resultados, realizações, votações e números do Estado que tiveram sua ingerência pessoal e constante.

 

De novo a política vai em desencontro do apelo e necessidade popular e entra na seara da vaidade política de alguns dirigentes, como sempre, eleitores, contribuintes e o povão, ficam com as sobras, as escolhas em reuniões fechadas e as decisões sem compartilhamento... Um dia isso muda.

 

De novo as pesquisas mostram um quadro estarrecedor, os esforços do governo e a eficiência de suas ações, não fizeram com que seus expoentes tivessem reconhecimento e a escolha do líder maior está mais do que equivocada, Fábio, Bussiki, Figueiredo, não tem simpatia, bagagem e muito menos votos... Talvez até o pouco afável Basílio fosse melhor escolha.... kkkkkkkkk

 

Carvalho deve estar assistindo da cadeira a chance que passou com olhos lacrimejados e frustração na alma, sua candidatura era a bala de prata do DEM, teria o apoio de Mendes, Jaime é um sem número de deputados, imprimindo uma real chance de vencer Pinheiro e ficar donos da P... toda... Agora o cavalo já saiu em disparada e o arreio ficou pelo chão.

 

Só resta uma saída menos traumática e mais honrosa : Mostrar que o partido organizado tem força e densidade, abraçando a única chance de vencer Emanuel que é o Sr. Roberto França... Estou de mãe Diná a algum tempo acertando. PREVISÃO DE HOJE: Com Roberto e um arco de  alianças de Gisela, Abílio e a benção do DEM, a fatura fica no primeiro turno... podem apostar.

 

Halisson Lasmar é jornalista e publicitário

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet