Artigos Terça-Feira, 07 de Maio de 2019, 12h:03 | - A | + A

ANTERO PAES DE BARROS

Lula é de direita e Bolsonaro é de esquerda

Por Antero Paes de Barros

 

Os sinais estão definitivamente trocados nestes tempos de nova política, ou do que se convencionou chamar como tal. Duas importantes lideranças brasileiras representam bem essa troca de sinais. Cada um deles melhorou a vida dos adversários ideológicos e prejudicou os que mantinham a esperança de que fossem representar a consolidação do pensamento que anunciaram defender. Lula se elegeu dizendo que “é muito difícil ser de esquerda” e Bolsonaro saiu vitorioso das urnas, anunciando claramente, que representava sim, a vitória da direita nas eleições presidenciais do Brasil.

 

Depois que ganharam o poder, Lula fortaleceu a direita – daí a vitória de Bolsonaro e este, indiscutivelmente presta um grande serviço à organização popular de esquerda, que pelo enorme desgaste que ostenta, não conseguiria recuperar-se tão cedo, a não ser, como começa a acontecer com a ajuda de Bolsonaro.

 

Explico:

 

Lula desmantelou a imagem da esquerda, inclusive dos que se posicionaram todo o tempo contra o PT, como foi o caso dos comunistas seguidores de Roberto Freire. Depois do seu desastrado governo e da Dilma, a imagem que ficou foi de uma esquerda corrupta, incompetente, que quebrou a Petrobras e deixou um passivo de 14 milhões de desempregados. Isso facilitou a vitória da direita de Bolsonaro.

 

Com pouco tempo no poder, Bolsonaro já retribuiu para os movimentos populares de esquerda, o que ela sozinha não conseguiria fazer em 20 anos. O movimento estudantil que mais parecia um reduto do Pc do B e do PT, ganhou grande oxigênio com a estupidez de Bolsonaro em cortar 30 por cento dos recursos da educação. A esquerda, que não tinha mais a autoridade moral para mobilizar os estudantes brasileiros recebeu de presente a reoxigenação do movimento estudantil, que por uma questão de sobrevivência, aumentou a sua mobilização e vai colocar os jovens, novamente, como protagonistas para outra mudança significativa no Brasil. Nem parece que Bolsonaro defendeu a ditadura que não reconhece, pois não percebeu que o golpe de 64 sofreu seu primeiro grande revés, quando matou o estudante Edson Luis em 1968, no Rio de Janeiro. Os estudantes, apesar de todas as proibições voltaram para as ruas e, anos mais tarde, no movimento das diretas de Dante de Oliveira, que redemocratizou o Brasil, foram decisivos para a reconquista da democracia no Brasil.

 

Traduzindo tudo isso: já dá pra perceber que Lula é de direita e Bolsonaro é de esquerda. Sinal dos tempos.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet