Artigos Segunda-Feira, 28 de Setembro de 2020, 16h:36 | - A | + A

AGORA É A VEZ DELAS

O desafio das mulheres na eleição municipal em Várzea Grande

Anna Carol

Várzea Grande tem a segunda maior população do estado, são 252.596 habitantes de acordo com o CENSO 2010 do IBGE, sendo um importante polo industrial e também motor do desenvolvimento econômico de Mato Grosso. Contudo ainda sofre com o alto índice de desigualdade de gênero e social. 

 

Chegada à época da eleição, diante de tantos problemas que a população enfrenta na saúde, na educação, a falta de saneamento básico, o desemprego e ainda os reflexos da pandemia de COVID 19 (que por sinal ainda não acabou) será complicado um político ou política convencer que fará algo diferente. Difícil sim, mas não impossível. Pois, ainda teremos a oportunidade de encontrar pessoas sérias, comprometidas com a coisa pública e com o bem estar social, em especial com políticas públicas que incidam efetivamente na vidas das cidadãs e cidadãos Várzea-grandenses. 

 

As mulheres representam 50,41% da população de Várzea Grande, entretanto apenas uma mulher ocupa vaga no legislativo municipal. Mesmo a cidade sendo comandada por uma mulher, elas ainda sofrem com a falta de políticas públicas reflexo do machismo estrutural. Se maioria da população é de mulheres porque então se tem uma baixíssima representatividade no parlamento que deveria ser a voz do povo?

 

Sem dúvida, a busca por representatividade vai para além de apenas ocupar o poder, mas pelas ações que valorize a vida das mulheres. Pois, Várzea Grande e Cuiabá representam aproximadamente 38% no índice de violência doméstica no estado. Fruto de uma grande desigualdade de direitos entre homens e mulheres, seja por dependência psicológica, financeira ou familiar. 

 

Nesse pleito que tem um número recorde de candidaturas, por força da Lei temos pelo menos 30% de candidatas na disputa por uma vaga na câmara de vereadores, sendo essa uma oportunidade para mudar o quadro da baixa representação, o ideal seria que no mínimo 30% das cadeiras fossem para as mulheres. Mas acreditamos que para esse cenário mudar, é preciso que a população dê credibilidade as mulheres que estão no pleito, acreditando em sua capacidade trabalho para mudar e renovar a Câmara de Vereadores de Várzea Grande, sendo indutoras de novas politicas públicas. 

 

Agora é a vez delas, as mulheres precisam e devem ocupar seus espaços de representatividade. Entretanto, precisa-se da oportunidade e voto de confiança da população. Esse é um bom momento para mudar essa história. 

 

 

 *Anna Carol, é professora de Educação Física, candidata a vereadora pelo PDT em Várzea Grande

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet