Artigos Segunda-Feira, 30 de Março de 2020, 14h:30 | - A | + A

Saúde, Saúde, Saúde

Proteger médicos e enfermeiros é dever de Mauro e Emanuel

Antero Paes de Barros

A gravidade do coronavírus ainda não é percebida em sua inteireza pelos políticos de Mato Grosso. O governador Mauro Mendes, tal qual Bolsonaro, foi derrotado na sua intenção de mandar reabrir o comércio e fazer funcionar o transporte coletivo. E não se pode afirmar que esta foi uma vitória do prefeito Emanuel Pinheiro, embora, reconheça-se ele está com a melhor posição neste momento, que é a de seguir as orientações da Organização Mundial da Saúde.

 

Ainda bem que Mauro Mendes, derrotado pela sábia decisão do desembargador Orlando Perri, recuperou a serenidade e disse que não vai recorrer. Ótimo. Isso pode diferenciá-lo de Bolsonaro no futuro.

 

Não há como negar que, do ponto de vista da estruturação da saúde, o governador Mauro Mendes tomou decisões rápidas, sérias, de modo a dotar Mato Grosso de mecanismos para enfrentar a crise. A disponibilização de 147 leitos da Santa Casa, exclusivamente para atender os infectados do coronavírus, e mais a construção de 200 novos leitos em Várzea Grande são ações muito positivas do governo Mauro Mendes, que parou de andar na contramão quando disse que não vai recorrer da decisão do Tribunal de Justiça.

 

Por outro lado, o prefeito Emanuel, que está correto na sua decisão de suspender o comércio, fechar os shoppings e proibir a circulação de ônibus, precisa fazer mais pela saúde. O vereador Dilemário Alencar parece ter lhe encaminhado ótimas sugestões. A UPA Verdão está pronta para ser inaugurada. Por que não instalar lá leitos de UTIs e colocar a UPA exclusivamente para atender o corona? É uma ótima sugestão do vereador Dilemário, que sugere também outras medidas em carta enviada ao prefeito.

 

Neste momento, Mauro Mendes e Emanuel deveriam reler – creio que já tenham lido – a entrevista dada ao PNBOnline pelo presidente do Sindicato dos Enfermeiros, que disse que a categoria não tem EPIs (Equipamentos de Proteção Individuais) para se proteger. E eles, heroicamente, têm que atender a população que contraiu o vírus. Os nossos médicos também reclamam de falta de proteção. Será que não é hora de priorizar esses equipamentos? Não é hora de adquiri-los, ou os entes estadual e municipal vão ficar aguardando as providências de Bolsonaro?

 

Menciono essa prioridade porque vejo Emanuel empenhado em liberar mais de R$ 100 mihões para fazer uma nova e importante avenida em Cuiabá. Não seria hora de pegar empréstimo para a saúde, ao invés de asfalto? De outro lado, a Assembleia aprovou o empréstimo de até R$ 550 milhões para a construção de pontes de concreto? Neste momento? Essa é a prioridade? Não seria importante também destinar todos os recursos para a proteção dos médicos e enfermeiros?

 

Enfim, nossos governantes continuam governando como se estivéssemos na normalidade. Não estamos. A crise é grave. Precisamos evitar mortes. Inclusive dos profissionais de saúde.

 

Antero Paes de Barros é jornalista e ex-senador da República

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet