icon clock h

Segunda-Feira, 22 de Março de 2021, 16h:26 | - A | + A

PANDEMIA

R$ 180 milhões da covid que Cuiabá recebeu e o colapso na saúde

Dilemário Alencar

Lamentavelmente, a saúde pública de Cuiabá entrou em colapso neste último final de semana. As internações foram suspensas nas UPAs Morada do Ouro, Pascoal Ramos e nas Policlínicas do Verdão, Coxipó, Planalto e Pedra 90.

 

As demais unidades básicas de saúde, existentes nos bairros, também estão no limite, pois estão desassistidas com a falta de remédios, médicos, insumos e testes de diagnóstico da Covid-19.

 

Diante desse caos, pergunto mais uma vez ao prefeito Emanuel Pinheiro: Onde foi aplicado os R$ 180 milhões que a Prefeitura de Cuiabá recebeu do governo federal?

 

Cada vez mais, fica notório que o prefeito não agiu com eficiência e responsabilidade na aplicação dessa montanha de dinheiro (R$ 180 milhões). Esse dinheiro chegou em Cuiabá para aplicação exclusiva em ações preventivas, como: compra de remédios, insumos, testes, kits covid e ampliação de leitos de UTIs.

 

Não tem como deixar de associar que a má aplicação desses recursos foi fator preponderante para o atual colapso na saúde pública da nossa cidade, fazendo com que centenas de pessoas estejam sofrendo por falta de leitos de UTI, e outras milhares por falta de atendimento médico nas unidades básicas de saúde.

 

Desde março do ano passado, tenho encaminhado ofícios ao prefeito, apresentado requerimentos solicitando prestação de contas, usado a tribuna da Câmara Municipal e os meios de comunicação, para cobrar que os recursos recebidos fossem aplicados em ampliação de leitos de UTIs, implantação do Centro Municipal de Triagem e Tratamento da Covid-19, na região norte (Ginásio Verdinho) e na região sul (Centro Cultural Silva Freire), para atender a população com exames de testagem em massa e acesso ao Kit Covid.

 

Mas, o prefeito não ouviu e ficou só no ‘’blá blá blá”, gastando os recursos da Covid-19 em compras emergenciais, duvidosas, de alto valor, com dispensa de licitação e bobagens, a exemplo dos absurdos aluguéis de drones para pulverizar condomínios.

 

Recentemente, o prefeito deixou fechar, por falta de medicamentos, 38 leitos de UTIs, na unidade do antigo Pronto Socorro, que está funcionando como Hospital Municipal da Covid-19, e, pasmem, mandou retirar todos os lavatórios de mãos que serviam de higienização para milhares de pessoas. Os lavatórios estavam instalados em locais de grande circulação, como praças e estações de ônibus.

 

Pontuo também que encaminhei várias denúncias ao Ministério Público Federal e Estadual, bem como ao Tribunal de Contas, solicitando que fosse acompanhado e fiscalizado a aplicação dos recursos que a Prefeitura de Cuiabá recebeu para ações de combate à Covid-19.

 

Dilemário Alencar é vereador em Cuiabá pelo Podemos

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS




Informe Publicitário






NEWSLETTER

Cadastre-se e fique por dentro dos últimos acontecimentos e relatos do pnbonline.