icon clock h

Sábado, 17 de Abril de 2021, 11h:38 | - A | + A

EDUCAÇÃO

Associações questionam nomeação de empresária para comandar Capes

Da Redação

O governo federal nomeou a reitora do Centro Universitário de Bauru, Claudia Mansani Queda de Toledo, para a presidência da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Claudia assumirá o cargo no lugar de Benedito Guimarães Aguiar Neto, que foi exonerado do cargo na última segunda-feira (12.04). O anúncio da saída de Benedito Guimarães, que estava no cargo desde janeiro de 2020, foi feito pelo Twitter na segunda, pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro. Na ocasião, Ribeiro disse que o "próximo presidente da Capes será um profissional de perfil técnico e acadêmico".

 

A nomeação de Claudia provocou reações no meio acadêmico em todo o país. Diversas associações assinaram uma nota em que questionam a nomeação da empresária para comandar a Capes, que é uma agência de fomento à pesquisa, ligada ao Ministério da Educação, que tem como missão avaliar os cursos de pós-graduação no Brasil e divulgar informações científicas.

 

Confira abaixo a íntegra da nota:

 

NOTA EM DEFESA DA CAPES

 

A Associação Brasileira de Linguística (Abralin), a Associação de Linguística Aplicada do Brasil (ALAB), a Associação Brasileira de Hispanistas (ABH), a Associação Nacional de Pesquisa, Pós-Graduação em Letras e Linguística (Anpoll), a Associação Brasileira de Literatura Comparada (ABRALIC) e a Associação Brasileira dos Professores de Italiano (ABPI) vêm manifestar estranheza à nomeação de Cláudia Mansani Queda de Toledo como Presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES.

 

A CAPES, responsável pela qualidade da pós-graduação no Brasil, tem zelado pela excelência de pesquisadores e pela qualificação e produção relevante dos docentes dos  programas de pós-graduação no País, induzindo o impacto das produções acadêmicas no cenário científico internacional. Sendo assim, espera-se que a presidência desta fundação seja ocupada por acadêmicos com ampla experiência em gestão de cursos de pós-graduação de excelência, orientação de mestrados, doutorados, supervisão de pós-doutorados, coordenação de projetos científicos de grande porte e produção científica qualificada e reconhecida entre seus pares.

 

Historicamente, a CAPES sempre primou por ter em seus quadros diretivos pesquisadores e pesquisadoras de excelência, que contribuíram de forma indelével para a mudança nos parâmetros de formação de profissionais de alto nível, a começar pelos seus primeiros presidentes: Anísio Teixeira e Susana Gonçalves. O currículo de Cláudia Toledo não revela onde ela se graduou e indica que cursou o seu doutorado na instituição da qual é reitora e co-proprietária. Além disso, não constam no currículo publicações em periódicos arbitrados, orientações de doutorado concluídas ou experiência internacional. Essas informações por si só já expõem a fragilidade e a impropriedade da indicação da empresária para assumir uma posição tão importante para o avanço da ciência no País.

 

A forma de condução das políticas de formação de recursos humanos de alto nível no País é fundamental e tem relação direta com o progresso. Lembrando a relação direta desses recursos com o progresso das humanidades, das ciências e das tecnologias, as associações científicas signatárias desta carta solicitam ao Ministério da Educação a imediata revisão desta nomeação e a sua substituição por um nome compatível com as responsabilidades e com as elevadas finalidades intrínsecas ao cargo.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS




Informe Publicitário






NEWSLETTER

Cadastre-se e fique por dentro dos últimos acontecimentos e relatos do pnbonline.