Caldeirão Político Quarta-Feira, 20 de Maio de 2020, 17h:13 | - A | + A

"AINDA BEM"

Lula pede desculpas por elogio à natureza pela criação do vírus letal

Da Redação

O pedido de desculpas do ex-presidente Lula pela declaração sobre o coronavírus ainda reverbera entre apoiadores, cientistas e empresários com relação à crise provocada pela pandemia no mundo. “Ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus. Porque esse monstro está permitindo que os cegos enxerguem, que os cegos comecem a enxergar, que apenas o estado é capaz de dar solução a determinadas crises” afirmou Lula, em uma videochamada, promovida pela revista Carta Capital, na terça-feira (19). 

 

“Infeliz é muito pouco. Esta afirmação do ex-presidente mostra uma total insensibilidade com a tragédia mundial que está acontecendo. Tentar se apropriar de uma desgraça desta para toda humanidade para tentar de alguma forma se capitalizar politicamente. Mostra a pequenez desse homem que teve a sua biografia manchada por fatos lamentáveis, condenáveis e, obviamente provados, aos quais ele tenta dar uma conotação política. Com o perdão da expressão, isto é uma canalhice inadmissível com as vítimas, com as famílias das vítimas dessa epidemia em todo o mundo, não só no Brasil”,  afirmou o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso, Gustavo de Oliveira.

 

O professor doutor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Paulo Teixeira, concorda que Lula não foi feliz na forma como fez a afirmação em relação ao coronavírus. “No entanto o que ele quis dizer é correto. Explico: o atual governo prega a tese do estado mínimo. Mas mínimo quando se trata de cortar despesas sociais como saúde e educação, mas não mínimo quando se trata de apoiar diversos empresários com dinheiro público. Então, o que o Lula quis dizer, e eu estou de acordo, é que agora, aquele estado que não servia para nada, é quem pode mitigar a crise, destinando inclusive altas somas para o empresários, mesmo pagando apenas R$ 600 de auxílio emergencial para o trabalhador. Lembrando, porém, que a proposta do governo foi de apenas R$ 200; foi o Congresso que triplicou o valor”,  justificou.

 

Nesta quarta (20), desta vez em uma live pela Rede Brasil Atual, o ex-presidente se desculpou e pontuou melhor o que quis dizer sobre o coronavírus. Disse que fez a população reconhecer a importância do Sistema Único de Saúde (SUS), por exemplo. "Foi isso que eu tentei dizer e utilizei uma frase totalmente infeliz, uma frase que não cabia, e se alguma pessoa ficou ofendida, se algum dos 210 milhões de brasileiros ficou ofendido, todo mundo sabe que a palavra 'desculpa', ela foi feita para a gente utilizar com muita humildade porque eu sou um ser humano movido a coração e eu sei o sofrimento que causa a pandemia. Eu sei o sofrimento que causa uma pessoa ver seu parente ser enterrado sem poder sequer acompanhar", declarou Lula. 

 

Os parlamentares do PT, federal e estadual, Rosa Neide e Lúdio Cabral, respectivamente, defendem o líder petista e explicam o contexto. "A ideia está correta. O 'ainda bem' foi uma expressão inadequada. A frase correta seria: foi preciso a natureza criar um monstro para percebermos a importância do Estado e a incapacidade da agenda liberal”, destacou Cabral. "Creio que foi infeliz. Com certeza absoluta ele não pensa o que ora se interpreta. Lula demonstrou total humanidade durante a sua gestão, diferentemente do atual presidente, que fala e pratica a falta de humanidade", considerou a deputada federal.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet