icon clock h

Sábado, 03 de Abril de 2021, 11h:20 | - A | + A

ENTREVISTA À RÁDIO CAPITAL

Prefeito despreza o próprio partido

Pinheiro diz que o partido dele é Cuiabá, descartando a relevância do MDB na sua gestão.

Pedro Pinto de Oliveira

Mídia News

Emanuel Pinheiro e Carlos Bezerra.jpg

 

Na entrevista à rádio Capital 101.9, nesta sexta-feira (02/04), o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, deu uma declaração de solene desprezo ao seu partido, o MDB. Foi durante a explicação sobre o embate da pandemia politizada. Questionado sobre confronto entre Bolsonaro x Lula, Emanuel criou uma terceira via, que chamou de “linha humanitária”. Não é bolsonarista, “não sou negacionista”, e também não é esquerdista. E para fechar o seu argumento ele carimbou: “meu partido é Cuiabá”.

 

Na fórmula para descartar Bolsonaro x Lula, sobrou, portanto, para o MDB. “O meu partido é Cuiabá”, afirmou Emanuel. Ou seja, para ele o MDB é apenas uma conveniência legal para atender à Justiça Eleitoral. Na hora do enfrentamento da pandemia, tentando se colocar acima da politização do vírus, transformou o MDB em pó de traque.

 

Cuiabá é o seu partido, confessa o prefeito, porque ele é mais um reflexo da política brasileira que despreza os partidos e celebra os indivíduos. Na sua trajetória na política, Emanuel passou pelo PFL, PDT, PL, PR antes de entrar para o MDB do deputado federal Carlos Bezerra. Aliás, o que o cacique do MDB de Mato Grosso, o velho Bezerra “mão de pilão”, acha dessa declaração do prefeito da Capital? 

 

Emanuel, na verdade, fez uma crítica mais ampla ao MDB, bem no estilo primeiro alisa e depois bate duro. Alisando, enaltece o MDB da resistência democrática, de luta pelos pobres, da proposta humanizada de desenvolvimento econômico social.  Batendo, afirma que esse partido aguerrido e popular não existe mais: “eu luto para trazer de volta o partido para as ruas”, disse, críticando o momento atual do partido.

 

Ao fim e ao cabo, o prefeito crava uma estaca no coração do MDB: “O que me elegeu não foi o MDB, foram as ruas de Cuiabá”. Emanuel traz para si o crédito pela reeleição. “O que me elegeu foram os feitos da nossa gestão e ser um prefeito popular, de rua, próximo do povo, próximo do movimento comunitário, que abraça as pessoas, que olha olho no olho do cidadão, que aceita as críticas com humildade”, garante. 

 

Com a palavra o MDB.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Bento Francesco Bezerra - 03/04/2021

É uma pena, no segundo turno lutei com unhas e dentes , mas sou consciente que como um MDB , fiz a minha parte.

1 comentários




Informe Publicitário






NEWSLETTER

Cadastre-se e fique por dentro dos últimos acontecimentos e relatos do pnbonline.