Caldeirão Político Sexta-Feira, 09 de Agosto de 2019, 10h:19 | - A | + A

GRAMPOLÂNDIA PANTANEIRA

Só Janaína solicitou ser assistente de acusação, por enquanto

Questionado sobre o interesse em atuar como assistente de acusação na investigação do caso Grampolândia Pantaneira, o desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Marcos Machado, por meio da assessoria, disse apenas que não quer falar sobre o assunto. Já os advogados José Antônio Rosa e José do Patrocínio afirmaram que não têm essa pretensão. Patrocínio, considera que o acompanhamento da OAB-MT, já é suficiente para ele.

 

Portanto, desde terça-feira (6), a deputada estadual Janaína Riva (MDB) é, por enquanto, a única entre os grampeados citados pelo cabo Gerson Corrêa, em depoimento ao juiz Marcos Faleiros, da 11º Vara Militar de Cuiabá, em 17 de julho, autorizada a atuar como assistente de acusação. "Não tenho interesse. Acho que a instituição OAB já está presente e, não há sentido a minha participação",garantiu José do Patrocínio.

 

Na verdade, o interesse da deputada se justifica, já que toda a família Riva foi vítima do esquema de escutas ilegais que, segundo os militares, o coronel Zaqueu Barbosa, Evandro Lesco e o cabo Gerson, foi executado a mando do então, candidato a governador Pedro Taques e o primo, o advogado Paulo Taques, em agosto de 2014. Mas se espera, certamente, que a parlamentar atue na defesa dos interesses da sociedade, para além da questão pessoal e familiar

 

O juiz Marcos Faleiros determinou que o julgamento do caso dos grampos ilegais será nos dias 6, 7 e 8 de novembro.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet