Esportes Domingo, 02 de Agosto de 2020, 20h:30 | - A | + A

CLÁSSICO NA FINAL

Corinthians e Palmeiras vencem e se reencontram na final do Paulistão

Os duelos de ida e volta estão marcados para quarta-feira (05) e sábado (08)

ESTADÃO CONTEÚDO

Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Palmeiras e Corinthians

 

De quase eliminado a finalista e postulante ao tetracampeonato inédito. A história do Corinthians no Campeonato Paulista de 2020 ganhou mais um capítulo neste domingo com a vitória por 1 a 0 sobre um surpreendente Mirassol na semifinal do Estadual. Já o Palmeiras avançou ao derrotar a Ponte Preta pelo placar também de 1 a 0.

 

Com os resultados as equipes agora se enfrentam na grande final do Paulistão. Os duelos de ida e volta estão marcados para quarta-feira (05) e sábado (08). O primeiro jogo será na Arena Corinthians. Já a decisão será disputada no Allianz Parque.

PAMIERAS 1 X 0 PONTE PRETA

 

O Palmeiras derrotou a Ponte Preta neste domingo por 1 a 0 e está novamente na final do Campeonato Paulista. Outra vez terá o Corinthians pela frente, que pouco antes derrotou o Mirassol. O último encontro em uma decisão foi em 2018 e deu o rival alvinegro, em um clássico que causou polêmica, em razão da arbitragem. E quis o destino que o treinador palmeirense nesta temporada fosse justamente quem comandou a equipe no último título estadual, em 2008: Vanderlei Luxemburgo.

Para manter as coincidências e animar os torcedores que gostam de superstição, o adversário da semifinal foi o mesmo que o Palmeiras enfrentou na final em 2008. A Ponte Preta lutou e 'vendeu caro' a derrota, mas novamente não conseguiu superar o rival alviverde.

Em um Allianz Parque vazio, mas com muitas bandeiras nas arquibancadas e gritos de torcidas nas caixas de som, o Palmeiras foi melhor durante toda a partida e mereceu a vitória, sem contestação. Em um elenco cheio de grandes nomes e jogadores que seriam titulares na maioria dos clubes brasileiros, quem fez a diferença foi Patrick de Paula, garoto de apenas 20 anos, que começou 2019 na base alviverde, mas conseguiu conquistar seu espaço e caiu nas graças de Luxemburgo.

Antes de Patrick fazer a diferença, o Palmeiras teve boas chances com Rony e Willian, mas os atacantes pararam nas mãos do goleiro Ivan. Gustavo Gómez chegou a acertar um cabeceio na trave, após cobrança de escanteio.

Parecia que a primeira etapa ficaria no 0 a 0, quando Patrick recebeu na frente da área e chutou. A bola desviou na zaga e enganou Ivan. O Palmeiras abriu o placar e se aproximou da final

Na etapa final, a Ponte decidiu sair do campo de defesa para tentar achar um gol e pelo menos levar a decisão para os pênaltis. O Palmeiras sentiu e Luxemburgo decidiu colocar Zé Rafael e Bruno Henrique, para voltar a ter mais a bola no pé e evitar surpresas.

O tempo ia passando e a ansiedade dos jogadores da Ponte aumentava. Consequentemente, os erros de passe também, o que facilitou a vida dos palmeirenses. O time de Luxa voltou a ter a bola no pé e abrir espaço para chegar ao gol. Aos 24, Zé Rafael chutou, Bruno Henrique desviou e Ivan fez uma grande defesa. Ainda havia esperança para a equipe de Campinas.

Em um contra-ataque rápido da Ponte, Roger aproveitou cruzamento e finalizou em cima do goleiro Weverton, na única oportunidade real da equipe de empatar a partida. Scarpa ainda carimbou a trave em chute de fora da área, mas a chance perdida não fez falta. O Palmeiras conseguiu passar para a decisão e se aproxima de acabar com o jejum de 12 anos sem o título do Paulistão.

 

CORINTHIANS 1 x 0 MIRASSOL

De quase eliminado a finalista e postulante ao tetracampeonato inédito. A história do Corinthians no Campeonato Paulista de 2020 ganhou mais um capítulo neste domingo com a vitória por 1 a 0 sobre um surpreendente Mirassol na semifinal do Estadual. Éderson fez o gol da classificação em Itaquera.

Os duelos de ida e volta da grande final estão marcados para quarta-feira e sábado, contra o vencedor do confronto entre Palmeiras e Ponte Preta. Se o rival avançar, a decisão será disputada no Allianz Parque. Caso contrário, na Arena Corinthians.

O resultado positivo confirma uma grande reação do Corinthians após a parada forçada pela pandemia do coronavírus. Desde a retomada, o time do técnico Tiago Nunes venceu as quatro partidas disputadas sem nenhum gol sofrido.

O Mirassol, por sua vez, se despede da competição de forma muito honrosa. Não foi desta vez que o time do interior conseguiu vencer o gigante da capital nem chegar a uma inédita decisão do Paulistão, mas a garotada comandada por Ricardo Catalá mostrou novamente brio e qualidade. Depois de perder oito titulares durante a quarentena e eliminar o favorito São Paulo na fase anterior, a jovem equipe proporcionou um jogo parelho durante boa parte do tempo e valorizou a vaga do Corinthians na final.

O JOGO - O técnico Tiago Nunes aprovou a escalação utilizada nas quartas de final e repetiu a equipe que havia vencido o Red Bull Bragantino por 2 a 0. Já Ricardo Catalá surpreendeu ao mandar a campo uma formação com três zagueiros, sacrificando o meia Kauan em relação à vitória por 3 a 2 sobre o São Paulo na fase anterior.

A estratégia se mostrou bem sucedida, pois o Corinthians não conseguiu converter os 70% de posse de bola em boas ações ofensivas e as equipes terminaram o primeiro tempo empatadas em finalizações: três para cada lado.

A primeira boa chance, inclusive, foi do Mirassol. Aos 13 minutos, Juninho cobrou falta com veneno e exigiu uma ótima defesa de Cássio. Apesar do susto, o lance teve lá o seu aspecto positivo para os corintianos, pois o goleiro afastou qualquer preocupação quanto a um incômodo na virilha manifestado durante o aquecimento.

O Corinthians só conseguiu chegar com perigo aos 25 minutos, aproveitando um dos raros momentos de desorganização da defesa visitante. Mateus Vital recebeu bom cruzamento de Carlos Eduardo e por pouco não abriu o placar, acertando a trave direita do goleiro Kewin. Pouco depois, em mais uma jogada de fundo, desta vez pelo lado direito, Éderson cruzou rasteiro e Jô "furou" ao tentar o desvio de calcanhar.

Após o intervalo, foi a vez de Kewin mostrar reflexo e bom posicionamento. Aos 8 minutos, Luan pegou a sobra dentro da área e finalizou de primeira, mas o goleiro apareceu bem, praticamente em cima da linha, para cortar a trajetória da bola entre o camisa 7 e a rede.

O Mirassol se fechava ainda mais e o Corinthians começava a gostar do jogo. Mas a história da partida mudou mesmo a partir dos 14 minutos, quando Juninho deu um pisão no tornozelo de Carlos Augusto e foi punido com o cartão vermelho.

A partir dali o Corinthians tomou ainda mais conta do campo de ataque e o Mirassol não conseguiu resistir por muito tempo, mesmo com muita dedicação. Aos 26 minutos, Éderson comprovou a boa fase e acertou um chute longo para abrir o placar, anotando o terceiro gol dele em três partidas consecutivas. Desta vez, o goleiro Kewin não teve a mesma eficiência, é bom salientar.

Luan ainda balançou o travessão aos 32 minutos, em cobrança fechada de escanteio desviada pela zaga. Janderson e Araos também voltaram a dar trabalho ao goleiro visitante, mas ficou por isso mesmo. Vitória pelo placar mínimo.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 1 x 0 MIRASSOL

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Gil, Danilo Avelar e Carlos Augusto (Sidcley); Gabriel, Éderson (Camacho), Ramiro (Janderson), Luan (Araos) e Mateus Vital (Léo Natel); Jô. Técnico: Tiago Nunes.

MIRASSOL - Kewin; Danilo Boza (Matheus Rocha), Wellington e Reniê; Alison Silva (João Arthur), Daniel Borges, Zé Roberto (Netto), Du (Lucas Vital) e Moraes; Juninho e Bruno Mota (Kauan) Técnico: Ricardo Catalá.

GOL - Éderson, aos 26 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Danilo Avelar, Gabriel, Moraes e Wellington.

CARTÃO VERMELHO - Juninho.

ÁRBITRO - Vinicius Gonçalves Dias Araújo.

RENDA E PÚBLICO - Jogo sem torcida.

LOCAL - Arena Corinthians, em São Paulo (SP).

 

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet