Geral Segunda-Feira, 19 de Agosto de 2019, 11h:32 | - A | + A

COMBATE ÀS DROGAS

“O importante é trabalhar o sujeito”, diz superintendente de política sobre drogas em MT

Eunice Teodora defende a aplicação das novas diretrizes internacionais para políticas de drogas baseadas em direitos humanos, lançadas pela ONU.

Safira Campos

DA REDAÇÃO

(Foto: Reprodução)

drogas.jpg

 

Café, álcool, cigarro, cocaína, remédios. O consumo de substâncias, naturais ou sintéticas, que alteram o estado natural do corpo, está presente na humanidade desde seus primórdios, com finalidades diversas. Algumas drogas, entretanto, têm ao longo dos anos composto um cenário de violência e mortes em países não-desenvolvidos, como os da América Latina. 

 

Alguns especialistas afirmam que parte desse panorama se deve ao tipo de enfrentamento escolhido pelos governos no combate aos entorpecentes. Esse enfrentamento, que ficou conhecido como “guerra às drogas”, deveria mudar segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), que lançou este ano novas diretrizes internacionais para políticas de drogas baseadas em direitos humanos.

 

Para Eunice Teodoro, que atualmente chefia a Superintendência de Políticas sobre Drogas (Supod), vinculada à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), o combate às substâncias é ineficaz e está comprovadamente condicionado ao fracasso. Seria necessário assim, o fortalecimento do trabalho de prevenção e atuação junto às pessoas atingidas pelo uso de drogas: “não adianta você tentar tirar a droga da sociedade, pois sempre existiu e isso não deve mudar. A questão é que nós não vamos tirar a substância, temos que trabalhar o sujeito”, disse Teodoro em entrevista à Rádio Capital nesta segunda-feira (19). 

 

Nesse sentido, a superintendente afirma que o trabalho a ser desenvolvido pelo Governo não pode ficar restrito a pastas de segurança pública, tanto na esfera estadual quanto federal, mas deve contar com uma participação bem mais ampla: “essa é uma questão intersetorial. Precisamos fazer um trabalho que envolva educação, esporte e lazer, cultura, e inclusive, ações com a saúde. O importante são ações voltadas para o fortalecimento do sujeito”. 

 

O trabalho na infância e na adolescência torna-se fundamental neste aspecto. Família e escola têm um papel indispensável como prevenção primária, principalmente na construção de vínculos de confiança. Eunice Teodoro, que também é psicóloga, afirma que é importante o acompanhamento de pais e educadores do indivíduo nas primeiras etapas da vida para que ele consiga lidar com ganhos, frustrações e habilidades de forma mais saudável, e assim diminuir a possibilidade de comportamentos de risco, como o uso de entorpecentes. 



SUPOD


A Superintendência de Políticas sobre Drogas foi criada em 2015 e era vinculada às extintas Secretaria Adjunta de Justiça (Saju) e Secretaria de Estado de Justiça Direitos Humanos (SEJUDH). Seu objetivo é, desde sua criação, garantir princípios dos Direitos Humanos, como qualidade de vida e integridade biopsicossocial da população. A Superintendência tem ainda como missão promover a função social do Estado através da promoção, prevenção, cuidado e reinserção social ao usuário de álcool e outras drogas e seus familiares.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet