Geral Terça-Feira, 30 de Junho de 2020, 11h:01 | - A | + A

MESMO SEM EXAMES

AL inicia tratamento precoce com kits-covid a servidores na próxima semana

Os 3 mil kits-covid adquiridos pelo presidente Eduardo Botelho (DEM) estão prontos e o atendimento será feito na parte externa do prédio.

Ana Adélia Jácomo

Da Redação

Assembleia-Legislativa-de-Mato-Grosso.jpg

 

O médico clínico geral e cardiologista Carlos Augusto Carretoni Vaz, responsável pelo tratamento dos deputados estaduais e servidores da Assembleia Legislativa, afirmou nesta terça-feira (30) ao PNB Online que dará início ao tratamento precoce dos trabalhadores da Casa na próxima semana.

 

Os 3 mil kits-covid adquiridos pelo presidente Eduardo Botelho (DEM) estão prontos e o atendimento será feito na parte externa do prédio, onde serão realizados exames clínicos para detecção de pessoas com sintomas da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

 

Carretoni estima que ao menos 20 servidores, entre eles deputados, estejam infectados. Ao todo a Assembleia tem 24 deputados estaduais e mais de 3 mil servidores.

 

“O espaço está pronto e começaremos na próxima semana os atendimentos. Inicialmente, serão realizadas consultas e doação dos kits apenas para servidores da Assembleia. Faremos avaliações dos sintomas e então daremos início ao tratamento precoce”, disse ele.

 

Fazem parte do kit-covid a Azitromicina/ Nevofloxacin ou Amoxicilina com Clavulanato, Ivermectina, Hidroxicloroquina, Prednisolona e anticoagulantes. Os medicamentos serão oferecidos mesmo sem exames específicos para detecção do vírus.

 

Carretoni é forte defensor do tratamento precoce da doença. Segundo ele, no exame clínico já é possível avaliar os pulmões do paciente, a temperatura e saber se aquela pessoa tem sintomas da covid-19.

 

“O médico tem percepção para saber se aquela pessoa precisa de tratamento. Temos que evitar que as pessoas desenvolvam a forma mais grave da doença, porque até que fazem os exames, até que comecem a ser medicados estão em um quadro pneumônico grave, precisam se entubados e a chance de ir a óbito aumenta”, explicou.

 

As ações da Assembleia ocorrem durante o colapso da saúde no Estado. Tanto hospitais particulares como os públicos já possuem poucas ou nenhuma vaga de UTI. Dados desta segunda-feira (29) mostram que Mato Grosso tem 15.328 casos confirmados da doença e 590 mortos.

 

Botelho defende que os medicamentos sejam oferecidos mesmo sem exames específicos para detecção do vírus. Segundo ele, a demora nos resultados e os tratamentos iniciados tardiamente têm aumentado o número de internações e óbitos.

 

“Se ver que a pessoa está com os sintomas, já prescreve. Vamos realmente dar àqueles que têm os sintomas, mesmo sem os exames, porque o exame demora sete dias. A pessoa já morreu quando sai o exame. Vai esperar exame, tá morto. Estamos entendendo que deve se tratar com os sintomas precocemente”, disse nesta segunda-feira (29).

 

O uso do kit-covid tem sido adotado por diversas cidades e até mesmo pelo Governo do Estado de Mato Grosso. Entretanto, é controversa a sua eficácia. Há correntes de médicos que desaconselham o uso dos medicamentos e avisam que ainda não há comprovação científica de que exista um remédio para curar a covid-19.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet