Geral Domingo, 27 de Setembro de 2020, 09h:34 | - A | + A

JUSTIÇA

Grupo que construiu shoppings Pantanal e Várzea Grande entra em recuperação judicial

Juíza da 1ª Vara Cível de Cuiabá autorizou a suspensão temporária de todas as ações contra as empresas do grupo.

Da Redação

Reprodução

shopping vg.jpg

 

O Grupo Farol, responsável pela construção do Shopping Pantanal e do Shopping Várzea Grande teve recuperação judicial concedida autorizada. O grupo é composto por oito empresas, sendo seis voltadas para a construção civil e duas de atividades turísticas atuantes no ramo hoteleiro no município de Chapada dos Guimarães (MT). 

 

A decisão foi deferida pela juíza da 1ª Vara Cível de Cuiabá, Anglizey Solivan de Oliveira, nesta sexta-feira (25) e suspende por 180 dias todas as ações e execuções promovidas contra as empresas requerentes, por créditos sujeitos aos efeitos da recuperação judicial.

 

A recuperação judicial serve para evitar que uma empresa em dificuldade financeira feche as portas. É um processo pelo qual a companhia endividada consegue um prazo para continuar operando enquanto negocia com seus credores, sob mediação da Justiça.

 

A recuperação judicial foi instituída no Brasil em 2005 pela lei 11.101, que substituiu a antiga Lei das Concordatas, de 1945. A diferença entre as duas é que, na recuperação judicial, é exigido que a empresa apresente um plano de reestruturação, que precisa ser aprovado pelos credores. Na concordata, era concedido alongamento de prazo ou perdão das dívidas sem a participação dos credores.

 

Com o prazo de blindagem de seis meses, todas as empresas integrantes do Grupo Farol terão a oportunidade de buscar meios para honrar os compromissos com os credores, fornecedores e funcionários sem ter que fechar as portas e nem demitir colaboradores.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet