Geral Terça-Feira, 15 de Setembro de 2020, 15h:51 | - A | + A

MEIO AMBIENTE

Imagens de satélite da Nasa mostram avanço de incêndios pelo Brasil

Plataforma revela que maior parte das chamas vem de ‘incêndios de desmatamento’, de difícil controle.

Safira Campos

Da Redação

FIRMS/NASA

screenshot (1).jpg

Detecção de focos de incêndio entre segunda (14) e terça-feira (15).

Imagens de satélite da Nasa (Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos) revelam o alcance dos focos de fogo por todo o Brasil. Diante da seca prolongada e da ação humana criminosa os incêndios florestais têm destruído três dos principais biomas brasileiros: Pantanal, Amazônia e Cerrado. Confira o vídeo ao final desta matéria

 

Conforme a imagens geradas pela plataforma Firms (Fire Information for Resource Management System) os focos estão espalhados por quase todo o território brasileiro, mas há uma especial concentração na região Norte e Centro-Oeste do país. A plataforma GFED (Global Fire Data), também da Nasa, mostra que a maior parte dos focos é classificada como ‘incêndio de desmatamento’, que são tidos pelos pesquisadores como um dos mais difíceis de ser controlado. 

 

“Os incêndios de desmatamento normalmente têm alto poder radioativo inicial de fogo, pois os detritos lenhosos espalhados levam a uma maior liberação de energia e longa persistência de fogo, uma vez que essas pilhas podem arder por dias”, explicam os cientistas responsáveis pelo painel GFED. 

 

Apenas no bioma amazônico, há mais de 23 mil focos ativos nas últimas 24 horas. Além de ‘incêndio de desmatamento’, eles também estão divididos entre incêndio florestal, de sub-bosque, pequena clareira e incêndio agrícola. Em Mato Grosso, a maior incidência é de incêndios de sub-bosque, que tendem a se espalhar lentamente por semanas ou meses. 

 

Dados de satélite disponibilizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram ainda que os estados que mais sofrem no momento são Pará, Amazonas e Mato Grosso. Em todo o país, o número de focos de calor já cresceu 13% de janeiro a setembro de 2020 em comparação ao mesmo período de 2019, ano em que as queimadas na Amazônia chamaram atenção de todo o mundo. 

 

Em Mato Grosso, o aumento já é de 44% em comparação ao ano passado. Cerca de 34 mil focos já foram registrados este ano. O Pantanal é sem dúvidas o bioma mais atingido. O crescimento dos focos de queima na maior superfície alagável do planeta já chega a 220%. 

 

A imprensa internacional tem noticiado as queimadas que vem devastando o bioma. O Independent, da Inglaterra, destacou a pouca atuação do presidente Jair Bolsonaro e a preocupação da comunidade internacional com seu descomprometimento com a causa ambiental. Já a BBC, lembrou a atuação de ONGs e voluntários na tentativa de combater o fogo. 

VÍDEO

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet