Geral Quinta-Feira, 11 de Julho de 2019, 13h:32 | - A | + A

SAÚDE

Oferta de doação de sangue continua abaixo de demanda em MT

Equipe do MT Hemocentro trabalha para atrair mais doadores frequentes que ajudem a suprir carência de bolsas de sangue no estado.

Safira Campos

PNB Online

Hemocentro.jpeg

 

Jandra Tártaro (41) é administradora e mãe de Alisson Tártaro (16). Seu filho tem ‘deficiência do fator VII’, um distúrbio raro de coagulação que causa sangramento excessivo ou prolongado após um ferimento ou cirurgia. A doença de Alisson faz dele um paciente que facilmente pode necessitar de transfusão sanguínea, o que tornou doadores de sangue Jandra e o marido. A busca da administradora e sua família é levar a mais pessoas a conscientização do quanto a doação pode salvar vidas. 

Assim como Alisson, muitas pessoas necessitam de transfusão constantemente. Além dessas, outras, por razões factuais, como vítimas de crimes ou acidentes, contribuem para uma demanda que nunca cessa ou diminui efetivamente. A despeito do número de pessoas que precisam dessas doações, os estoques de bolsas nos hemocentros do país todo regularmente estão em baixa, como o caso do Hemocentro de Mato Grosso, que funciona em Cuiabá e atende a todos os municípios do estado.

A grande busca das instituições que realizam atividades de hemoterapia e hematologia é atrair novos doadores que se tornem frequentes, ou seja, que doem quatro vezes ao ano, para homens, e três vezes ao ano, para mulheres. Para isso, a unidade mato-grossense realiza constantes campanhas que levam à população a necessidade da doação. 

Para Maurien Reinoso, gerente do MT Hemocentro, o grande desafio é desenvolver empatia nos cidadãos, criando a noção de que todos estão suscetíveis a um dia precisarem de uma transfusão: “se não temos alguma doença crônica, nós nunca achamos que um dia vamos precisar. Mas é preciso entender que todos nós estamos sujeitos a uma situação como essa, ou ainda alguém que gostamos”, pontuou. 

Ainda segundo Maurien, outra questão dificulta o trabalho do hemocentro na cooptação de doadores: a falta de tempo de quem trabalha. Para trabalhadores do setor privado, a lei garante apenas uma folga durante o ano para que seja realizada a doação, o que fica distante do que é necessário para que o cidadão seja considerado um doador frequente. Diferentemente dos servidores públicos de Mato Grosso, que, graças à uma lei estadual, têm direito a até três folgas ao ano para a realização da doação. 

QUEM PODE DOAR

Há, de acordo com o Ministério da Saúde, algumas condições básicas para que se possa doar, como estar bem de saúde, pesar acima de 50kg e ter entre 16 e 69 anos. Também é necessário que o doador não esteja em jejum e tenha repousado pelo menos 6 horas na noite anterior. Não podem doar sangue pessoas que tenham ingerido bebida alcoólica 12 horas anteriores ou que tenham fumado duas horas antes da doação. Pessoas que tenham feito relação sexual com múltiplos parceiros, tenham doenças transmissíveis pelo sangue, tenham feito tatuagem no último ano ou tenham piercing também estão proibidas de realizar a doação. 

ONDE DOAR 

O MT Hemocentro fica localizado na Rua 13 de junho do Centro Sul de Cuiabá. O horário de funcionamento é das 7h30 às 17h30, de segunda à sexta-feira. No mês de julho, há uma intensificação das campanhas de doação e entre os dias 15 e 19, em que o MT Hemocentro incentivará servidores do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) a irem à sede da instituição.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet