Geral Terça-Feira, 02 de Junho de 2020, 12h:18 | - A | + A

COMUNICAÇÃO

Para pesquisadora, pandemia tem fortalecido importância das mídias tradicionais

Vera França participou de uma live nesta terça-feira, em que refletiu pandemia, cotidiano e mídia.

Safira Campos

Da Redação

Foto: Ronaldo Milanez

vera frança.png

 

Em meio ao caos de informações gerado pela pandemia, é na mídia tradicional que grande parte da população ainda checa o que é compartilhado em redes sociais e afins. O momento está fortalecendo o papel desempenhado por veículos de imprensa, acredita a professora e pesquisadora Vera França, conforme comentou na transmissão ao vivo que participou no canal do Youtube ‘Memória da Eletricidade’, nesta terça-feira (02).

 

Jornalista por formação e pós-doutora em Sociologia, França é também coordenadora do GrisLab, Laboratório de Análise de Acontecimentos, um grupo de pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) que acompanha e analisa fenômenos da atualidade sob a perspectiva de sua repercussão na mídia e nas redes sociais. Por lá, pesquisadores têm analisado os efeito da pandemia sob a perspectiva do conceito do ‘acontecimento’, algo que altera a normalidade de um ou mais indivíduos. 

 

A pandemia, segundo a professora, tem mostrado, que “para o bem ou para o mal”, a mídia tradicional ainda é a que dispõe das estruturas necessárias para levar informações de forma segura às pessoas. “Mesmo os canais alternativos, ainda dialogam muito com as mídias tradicionais e por isso a sua importância. O que acontece hoje é um movimento de complementaridade que não confirma aqueles pensamentos que preconizam o fim das mídias tradicionais”, afirmou. 

 

O importante, na visão da estudiosa, é que os veículos estejam sempre atentos aos interesses sociais como um todo. “É a grande mídia que ainda traz a palavra final, por isso é tão necessário que essa palavra seja afinada com os interesses da sociedade. Porque, mesmo que as pessoas não acessem diretamente um veículo, sua informação permeia as redes sociais, mesmo que seja para ser reafirmada ou rebatida. Temos que lutar para que essa mídia seja cada vez mais democrática”, ressaltou.   

 

Pandemia e neoliberalismo 

 

Além do papel da mídia neste momento, França também refletiu sobre ver o novo cenário que a emergência global de saúde tem sobressaltado. O modelo econômico neoliberal, acredita a pesquisadora, não atende ao que a sociedade precisa. Ao valorizar a ação e atuação individual, o neoliberalismo ignoraria que grandes transformações são possíveis a partir da ação coletiva. 

 

“Uma das coisas que me parece que esse cenário coloca em xeque é uma ideologia e uma perspectiva que estava tomando conta da sociedade: o neoliberalismo, que é uma perspectiva de organização da sociedade que prega o Estado mínimo, supremacia do mercado, individualismo, empreendedorismo e na famosa meritocracia. Quando nos vemos sujeitos a uma catástrofe coletiva nos damos conta de que individualmente valemos muito pouco. Os esforços têm grande valor quando são coletivos”.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet