Geral Quarta-Feira, 01 de Julho de 2020, 17h:56 | - A | + A

PANDEMIA

Presidente do CRM rebate declaração de secretário: “não somos covardes”

Em entrevista na manhã desta quarta-feira (01) o secretário municipal de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Possas, afirmou que estaria faltando coragem aos profissionais.

Safira Campos

Da Redação

CRMMT

Hildinete CRM.jpg

 

Em entrevista à TV Centro América nesta quarta-feira (01) o secretário municipal de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Possas, fez críticas a parte dos profissionais de saúde que atuam na capital. Para Possas, alguns dos pedidos de afastamento de médicos, enfermeiros e auxiliares seriam sinal de “falta de coragem”. O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) repudiou o comentário do secretário, que foi classificado como “desrespeitoso com quem está na linha de frente da pandemia”.

 

Após receber reclamações de falta de condições de trabalho de baixo número de profissionais de saúde na capital, Possas pediu que os conselhos representativos das classes “caíssem na realidade”. “Olha só o momento que estamos vivendo. Profissionais não têm no mercado. Estamos diariamente contratando, mas contratamos dez e saem 20 de licença. Desses, dez estão realmente infectados, ou estão com algum problema psicológico, mas os outros dez é porque estão acovardando mesmo”, disse. 

 

Em resposta, o Sindimed-MT divulgou uma nota repudiando o comentário do secretário. “O Secretário que ao invés de resolver os inúmeros problemas que afligem os cuiabanos procura transferir suas responsabilidades e jogar a culpa pela sua ineficiência em cima da classe trabalhadora”, traz um trecho do texto assinado por Adeildo Lucena, diretor de comunicação do sindicato. 

 

O CRM-MT também se manifestou e em coletiva de imprensa a presidente do conselho, Hildenete Monteiro Fortes, pediu respeito aos servidores de saúde. “Não somos covardes, somos heróis. Não aceitamos essas acusações. O que nós temos apontado são irregularidades que os nossos fiscais apontam (...). Essa fala demonstra que o secretário, como gestor, é incapaz de exercer sua função sem ser criticado. O CRM se recusa a fazer parte de um mundo de fantasias em que se faz de conta que as unidades públicas estão atendendo a contento ou que os profissionais de saúde estão trabalhando em condições adequadas”, afirmou.

 

Último levantamento do CRM aponta que já são 161 médicos contaminados em Mato Grosso e 02 óbitos. O último foi o pediatra Reinaldo Rodrigues, de 73 anos, que atuava na linha de frente de combate. Rodrigues chegou a ficar internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas não resistiu e faleceu na última semana.  

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet