Geral Terça-Feira, 09 de Julho de 2019, 12h:33 | - A | + A

PAULO FREIRE

Rede internacional lança campanha em defesa de educador

Intenção é defender e propagar o legado do educador por meio de atividades em diferentes países da América Latina e do Caribe.

Safira Campos

DA REDAÇÃO

(Foto: Facebook/Divulgação)

paulo-freire.jpg

 

O Conselho de Educação de Adultos da América Latina (CEAAL) lançou na última semana uma campanha em apoio ao legado do filósofo e educador brasileiro Paulo Freire. Segundo explica o texto divulgado pela rede internacional de organizações, que se define como um movimento de educação popular, a razão da campanha é fazer frente a uma ofensiva do conservadorismo contra a educação que tem ganhado força na América Latina e no Caribe. 

Entre os objetivos estão a defesa da importância do legado de Paulo Freire para a educação e outras áreas do conhecimento; a valorização de processos de educação popular desenvolvidos em todo o mundo e, especialmente, na América Latina; e construção de processos que contribuam para a produção de conhecimentos críticos em educação popular, associando o legado de Paulo Freire aos temas de educação política, educação popular feminista e antipatriarcal, economia solidária e outros. 

Recentemente, o deputado Heitor Freire (PSL-CE) apresentou à Câmara dos Deputados um projeto de lei que pretende revogar o título de Patrono da Educação Brasileira, dado a Paulo Freire em 2012. Para o parlamentar, a ‘pedagogia da libertação’, base do pensamento do filósofo, representa a eliminação do pensamento plural nas escolas e no meio acadêmico: “o modelo freiriano de educação é celebrado pela reversão, pela indisciplina, pela insubordinação do aluno perante o professor”.

Para Tiago Cury, professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que tem Paulo Freire como referencial teórico de sua tese de doutorado, a afirmação de que a pedagogia desenvolvida pelo filósofo brasileiro vai de encontro à ideia de respeito à pluralidade denota pouco ou nenhum conhecimento a respeito da obra deixada pelo autor: “quem estuda muito Paulo Freire acaba não entendendo a origem e os argumentos desse tipo de crítica, o que nos faz imaginar que essas pessoas desconhecem completamente a obra dele. As narrativas construídas que tentam descredenciá-lo dessa forma utilizam elementos ideológicos que não são encontrados quando se lê de fato as obras do autor”, afirma o professor. 

Paulo Freire é autor de obras reconhecidas no mundo todo, como ‘Pedagogia da Autonomia’, ‘Pedagogia da Esperança’ e ‘Pedagogia do Oprimido’, obra  que propõe um método de alfabetização que defende o diálogo com as pessoas simples, não só como método, mas como um modo de busca pela democracia. Ele é um dos 100 autores mais citados em trabalhos acadêmicos em todo o mundo, sendo o único brasileiro neste ranking. Foi também o brasileiro mais homenageado da história, com pelo menos 35 títulos de Doutor Honoris Causa de universidades da Europa e América; e recebeu diversos prêmios, como o da UNESCO de Educação para a Paz em 1986.

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet