icon clock h

Quinta-Feira, 01 de Abril de 2021, 15h:05 | - A | + A

PANDEMIA

Sindicato alerta para colapso em hospitais particulares de MT

Preocupação maior é com medicamentos que compõe o chamado “kit intubação”.

Da Redação

Rovena Rosa / Agência Brasil

leito de uti

 

Com a taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para covid-19 chegando a 100% nos hospitais particulares de Mato Grosso, o sistema privado de saúde também chegou ao estágio de colapso. Com a alta demanda, em breve podem faltar medicamentos e insumos para o atendimento dos pacientes, motivo que levou o Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso (Sindessmat), a protocolar um ofício no Ministério Público Estadual (MPE). 

 

Conforme a entidade representativa, unidades particulares apontaram a possibilidade de suspender temporariamente o recebimento de novos pacientes em seus Pronto-Atendimentos. Entre os alertas que constam no documento protocolado,  se destacam os equipamentos para ventilação mecânica, os medicamentos que compõem o chamado “kit Intubação” e o desabastecimento de oxigênio nas unidades.

 

“Apesar dos esforços diários em ampliar a capacidade de atendimento, a demanda por novos leitos é maior do que a capacidade de ampliação e, por isso, não estamos conseguindo dar vazão aos pacientes que já estão em atendimento, o que agrava a escassez de disponibilidade de leitos no sistema de saúde”, explica a diretora executiva do Sindessmat, Patrícia West.

 

Ainda no ofício, o Sindessmat alerta que se o número de novos casos continuarem crescendo há risco de desabastecimento de insumos e o esgotamento da capacidade de atendimento pela rede privada em Mato Grosso. O que poderá gerar a suspensão temporária do recebimento de novos pacientes nos Prontos Atendimentos dessas unidades.

 

De acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES-MT), o mês de março fechou com 1.869 mortes em decorrência da doença no estado. Desde o começo da pandemia até a tarde desta quarta-feira (31.03), 310.337 casos confirmados, sendo registrados 7.675 óbitos. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a covid-19, há 496 internações em UTIs públicas e 529 enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 98,02% para UTIs adulto e em  62% para enfermarias adulto. 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS




Informe Publicitário






NEWSLETTER

Cadastre-se e fique por dentro dos últimos acontecimentos e relatos do pnbonline.