Geral Quarta-Feira, 23 de Setembro de 2020, 07h:41 | - A | + A

GREVE DOS CORREIOS

Trabalhadores retornam nesta quarta, mas permanecem em estado de greve

Foram 36 dias de paralisação no país. O TST determinou o retorno da categoria com uma reposição salarial de 2,6%

Redação

com Assessoria

Assessoria

Greve Correios.

 

Os trabalhadores nos Correios de Mato Grosso, em greve há 36 dias, decidiram na noite desta terça-feira (22), em assembleia geral, retornar ao trabalho a partir desta quarta-feira (23). A categoria vai permanecer em estado de greve.

 

"Como falamos, quem determina o fim da greve são os trabalhadores”, disse o presidente so Sintect/MT, Edmar Leite. Segundo o sindicato, a  greve teve início depois que a empresa decidiu retirar 70 dos 79 direitos assegurados em Acordo de Trabalho em 2019/2021. Eles também lutam por concurso e contra a venda da empresa. 

 

Os direitos retirados representam um corte de 40% nos vencimentos da categoria, um valor significativo principalmente nesses tempos de crise. 

 

Nesta segunda-feira, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) realizou o julgamento que acabou em derrota para os trabalhadores mantendo de fora as cláusulas que garantiam ganhos financeiros. 

 

O sindicato dos funcionários em Mato Grosso afirma que a reposição salarial em 2,6%, fixada pelo TST,  simplesmente recupera a inflação, sem qualquer ganho real.

 

No TST

 

O TST  considerou que o movimento grevista não foi abusivo, mas decidiu retirar os direitos econômicos e manter algumas cláusulas sociais.

 

A ministra relatora Kátia Arruda destacou em seu voto que houve intransigência dos Correios em aceitar os acordos anteriormente proposto. Ela votou para que todos os direitos fossem mantidos, mas acabou parcialmente vencida. 

 

“Os funcionários sinalizaram disposição em negociar, mas a estatal desde o início foi de absoluta resistência”, afirmou a ministra.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet