Geral Domingo, 16 de Junho de 2019, 09h:40 | - A | + A

ESPECIAL

Vida e sofrimento das pessoas em situação de rua no Morro da Luz

Frequentadores da região convivem com a fome a e dependência química no seio de Cuiabá.

Safira Campos e Jaelson Silva

pnbonline

Morro da Luz

 

O semáforo da Avenida da Prainha aponta que os motoristas devem parar. É nesse momento que o homem que se apresenta pelo apelido 'Cabelo' tenta ganhar uns trocados. Com um balde e um rodo de mão, ele ganha dinheiro limpando os vidros dos carros.

Embora as diversas negativas por parte dos motoristas, os que aceitam os serviços do rapaz, que aparenta ter entre 30 e 35 anos, dão a ele diferentes valores. Ele conta que fica ali 24 horas, diariamente. O dinheiro que recebe pelo dia de trabalho não revela, mas diz ser variável.

Ele é morador do Morro da Luz, no Centro de Cuiabá. Cabelo e outras pessoas que frequentam o local exercem ou algum tipo de trabalho informal, ou pedem esmolas aos moradores, comerciantes do local e passageiros num ponto de ônibus próximo, ou ainda, recorrem ao crime.

Claramente Cabelo não está sozinho na atividade. Ele e outros colegas se dividem nas esquinas próximas ao local. Dia e noite, chuva ou sol, buscam ganhar a vida sofrida que levam.

O movimento na região é intenso. Além de limpadores de vidros, outros moradores fazem um verdadeiro sobe e desce. Alguns atravessam a via e se juntam a outros que ficam escondidos no Beco do Candeeiro. O tráfico é visível. Quem passa pelo local percebe nitidamente a realidade desses brasileiros que vivem à margem da sociedade.

Júnior admite e lamenta o seu vício: "Eu queria tentar. Mas não consigo sair".

Enquanto isso, as histórias de dor se repetem.

Um rapaz aborda nossa equipe e pede uns trocados. Seu nome é Júnior. A realidade na qual está inserido o impede de lembrar com clareza qual o seu sobrenome e sua idade. O que se lembra bem é como chegou ali. Usuário de drogas, ele também frequenta o Morro da Luz.

Diariamente Júnior aborda as pessoas que esperam ônibus nos pontos da Avenida da Prainha. Há quinze anos, era diferente. Júnior era um cidadão comum prestes a ter sua primeira filha. As complicações na gravidez de sua esposa fizeram com que os médicos avisassem que só conseguiram salvar a mãe ou o bebê. Por escolha própria, a mãe pediu que salvassem a vida da filha. Infelizmente, nenhuma das duas sobreviveu.

Deprimido, Júnior se envolveu com as drogas. Passados alguns anos, teve outra filha, com quem não tem contato. A avó paterna cuida da criança, já que a mãe também é usuária. Júnior admite e lamenta o seu vício: "Eu queria tentar. Mas não consigo sair".

O dependência e a fome fazem parte do cotidiano. Segundo relatório da Secretaria Municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano (SMASDH), um dos principais motivos que levou pessoas à situação de rua em Cuiabá no ano passado foi o uso de substâncias químicas. Cerca de 90% dos entrevistados pelo levantamento afirmaram ser usuários de álcool e outras drogas.

Depois da demolição dos imóveis da área conhecida como Ilha da Banana, sob a promessa de construção do VLT, a situação no Morro da Luz se agravou. Sem disporem de abrigo nas proximidades, os usuários passaram a ocupar a região um dia repleta de ouro e que, desde 1983, é considerada Patrimônio Histórico Municipal.

infográfico-morro-da-luz.png

 

Mesmo com o quadro específico e calamitoso que se estabeleceu, a SMASDH afirma que a Prefeitura não tem nenhum projeto voltado especialmente para a localidade. Há atualmente um serviço geral ofertado para toda a população em situação rua da Cuiabá que consiste no acolhimento em albergues.

Para a secretária adjunta da pasta, Hellen de Jesus, a maior dificuldade no enfrentamento da questão seria a falta de aceitação do acolhimento institucional por parte dessa população: “Nós temos três unidades em Cuiabá para acolhimento de adultos: o albergue Manoel Miráglia, o albergue do Porto e o albergue do Distrito da Guia. Mas o contato nem sempre é positivo. O que acontece principalmente no Morro da Luz é há uma identificação grande deles com a localidade, o que faz com que muitos deles não aceitem o acolhimento”, afirma.

O Governo Federal em parceria com os municípios também oferece o programa “Consultório na Rua”, que oferta atendimentos médicos, psicológicos, exames clínicos, aferição de pressão, teste de glicemia, curativos e distribuição de alguns medicamentos básicos com prescrição médica e de preservativos femininos e masculinos, até orientação e entrega de kit de higiene bucal.

 

O QUE DIZ UM ESPECIALISTA

 

Para a professora e pesquisadora da UFMT Lélica de Lacerda, doutora em Serviço Social pela UFSC, esse tipo de medida observada em Cuiabá é paliativa e não enfrenta o problema em seu cerne. Seria necessário estruturar uma rede de atuação que possibilitasse de fato a saída dessas pessoas da situação de rua, por meio de programas amplos de geração de renda, emprego e habitação: “é necessário lidar com o sujeito nas suas relações sociais e pensar em redução de danos com um conjunto amplo de políticas públicas e assistência social. Existe resistência e pouco investimento nesse sentido, infelizmente. O recolhimento dessas pessoas não é uma solução”, aponta a especialista.

A pesquisadora ainda indica a situação fundiária de Mato Grosso como uma das causas para o quadro. Com sua economia de natureza agrária, o estado é o segundo que mais apresenta concentração de terras no Brasil, ficando atrás apenas do vizinho Mato Grosso do Sul. Estima-se que 69% das propriedades rurais de Mato Grosso estejam centradas em latifúndios, o que influencia no êxodo das pessoas do campo para a capital.  

Além disso, para Lélica de Lacerda, ainda há uma posição conservadora e moralista em relação aos dependentes químicos e pessoas em situação de rua que os culpabiliza unicamente pelo cenário de insegurança apresentado em regiões como a do Morro da Luz. Tal visão atrapalha e influencia no pouco investimento em estratégias amplas de enfrentamento da problemática.

 

Confira a série especial de reportagens do PNB Online sobre o Morro da Luz

Morro da Luz em estado de completo abandono
Insegurança gera preocupação no entorno do Morro da Luz
Vida e sofrimento das pessoas em situação de rua no Morro da Luz

 

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet