Polícia Quinta-Feira, 30 de Julho de 2020, 12h:06 | - A | + A

GAECO

Prefeito é alvo de operação por desvios de recursos na saúde

A medida cautelar foi cumprida nas cidades de Rondolândia/MT e São Francisco do Guaporé/RO,

Da redação

Com assessoria

AMM/Divulgação

Agnaldo Rodrigues - AMM Divulgação.jpg

 

O prefeito da cidade de Rondolândia (1.600 km de Cuiabá), Agnaldo Rodrigues de Carvalho (PP), a ex-secretária de Saúde, Kátia Monteiro e o empresário Nélio de Matos Junior foram alvos de mandados de busca e apreensão do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco-MT),  nesta quinta-feira (30), por prática de crimes contra a Administração Pública na área da saúde. A empresa F. M. da S. Matos - ME também é alvo de investigação.

 

A medida cautelar foi cumprida nas cidades de Rondolândia/MT e São Francisco do Guaporé/RO, sede da empresa e local onde residem alguns dos investigados. Nas diligências realizadas no Estado de Rondônia os policiais mato-grossenses receberam o apoio do GAECO/ RO e do delegado da cidade Rondoniense. As buscas também foram realizadas no gabinete do prefeito de Rondolândia/MT, bem com no gabinete e na sede da Secretaria Municipal de Saúde.

 

A ordem de busca e apreensão foi expedida pelo desembargador Marcos Machado, do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, a partir de pedido apresentado pelo Núcleo de Ações de Competência Originária Criminal – NACO Criminal, sob a coordenação do procurador de Justiça, Domingos Sávio de Barros Arruda.

 

A investigação apura possível prática de crimes contra a Administração Pública por parte de Agnaldo Rodrigues de Carvalho, Kátia Monteiro e Nélio de Matos Junior, sendo que este último se apresenta como responsável pela empresa F. M. DA S. MATOS –ME, que foi contratada pelo Município de Rondolândia/MT como prestadora de “serviços de médicos plantonistas”.

 

prefeitura de rondolândia.jpg

 

Os elementos de informação colhidos no inquérito policial indicam que parte dos valores recebidos pela F. M. DA S. MATOS – ME, oriundos dos cofres públicos municipais, ao invés de terem sido utilizados para o pagamento dos profissionais de saúde contratados , teriam sido desviados em proveito do prefeito Agnaldo Rodrigues de Carvalho, de Kátia Monteiro e do próprio Néli de Matos Junior.

 

Além disso, há indícios de que os investigados se articulavam, frequentemente,   visando manter a empresa F. M. DA S. MATOS – ME como vencedora nos procedimentos licitatórios realizados pelo Município de Rondolândia/MT, sempre com o objetivo de obterem vantagens ilícitas.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet