Polícia Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 11h:53 | - A | + A

INVESTIGAÇÃO

Presidente da OAB-MT se defende de acusações de agressão contra esposa

Em nota, Leonardo Campos se defende e diz que sua esposa, Luciana Póvoas, que o empurrou. Presidente da OAB-MT passou a noite detido.

Hallef Oliveira

Da redação

TJMT

Leonardo Campos -OAB-MT

 

O Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Mato Grosso, Leonardo Campos, se defendeu das acusações de que teria agredido sua esposa Luciana Póvoas, que também é advogada e membro do Conselho do Direito da Mulher da OAB-MT, na noite desta quarta-feira (27). Em nota, Campos afirma que não agrediu sua esposa em nenhum momento e que o fato também foi negado por ela em depoimento. Veja a íntegra da nota no fim da matéria.

 

O advogado esclarece em sua nota que houve um desentendimento familiar, incluindo o filho do casal, e que em um momento acalorado da discussão teria sido empurrado pela esposa ao entrar no quarto. “Em verdade, houve um desentendimento e uma discussão que envolveu inclusive o meu filho. Mas eu disse que aquela situação, de discussão acalorada, era inaceitável e fui para o quarto. Neste momento, ela me empurrou e eu tentei fechar a porta para não prolongar a discussão”, diz trecho da nota.

 

Campos afirma ainda que a esposa disse que chamaria a polícia e que ele concordou com a atitude, para dar sua versão dos fatos. E que durante depoimento, tanto ele quanto Luciana negaram a existência de uma agressão. “Ela prestou o depoimento assistida pela presidente do Conselho Estadual de Defesa da Mulher e também afirmou – está registrado em Boletim de Ocorrência – que não houve agressão. Tanto que não houve sequer necessidade do exame de corpo de delito”, afirma.

 

Por fim, o presidente da OAB disse que ele mesmo pediu que medidas protetivas fossem asseguradas “para que os fatos sejam apurados de forma imparcial e com a devida segurança”. E que protocolou documentos para que a OAB-MT investigue sua conduta.

 

Entenda o caso

Leonardo Campos passou toda a madrugada desta quinta-feira (28), detido na Central de Flagrantes, em Cuiabá, após sua esposa ter denunciado uma agressão. Uma equipe da PM foi acionada via 190 para a residência do casal, em um condomínio do bairro Porto, na capital, por volta das 23h. No local, a vítima informou que Leonardo chegou em casa alcoolizado e que após uma discussão, ela foi agredida fisicamente, sendo empurrada pelo marido.

 

Veja a nota de Leonardo Campos, na íntegra:

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

Em primeiro lugar, quero reafirmar meu profundo respeito e zelo pelas políticas afirmativas dos direitos das mulheres. E tenho atuado firmemente em todas as ações da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso. 

 

Quem me conhece sabe que sou defensor e repudio qualquer forma de agressão às mulheres. Combato e repudio a violência doméstica.

 

Temente a Deus, cumpridor da lei e tendo como principal preocupação neste momento a minha família, necessito restabelecer a verdade e dizer o que realmente aconteceu:

Não houve agressão. Jamais agrediria minha esposa, mulher que respeito.

 

Em verdade, houve um desentendimento e uma discussão que envolveu inclusive o meu filho. Mas eu disse que aquela situação, de discussão acalorada, era inaceitável e fui para o quarto. Neste momento, ela me empurrou e eu tentei fechar a porta para não prolongar a discussão. 

 

Neste momento, ela disse que chamaria a polícia. Eu disse para ela fazer isso sim. Pois seria a oportunidade de ela, eu e meu filho darmos a nossa versão dos fatos. 

 

Na delegacia, ela prestou o depoimento assistida pela presidente do Conselho Estadual de Defesa da Mulher e também afirmou – está registrado em Boletim de Ocorrência – que não houve agressão. Tanto que não houve sequer necessidade do exame de corpo de delito.

 

Quando fui ouvido, eu mesmo solicitei que fossem fixadas medidas protetivas para que os fatos sejam apurados de forma imparcial e com a devida segurança. Diante dos fatos, foi-me concedida de forma imediata a ordem de soltura.

 

Agora, vou protocolizar junto à Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso toda esta documentação e solicitar que apurem a minha conduta e pedir que a Comissão do Direito da Mulher acompanhe todos os passos do processo, de forma clara e transparente.

 

Classifico esta manhã como uma das mais tristes da minha vida e espero que todos respeitem este momento de reserva familiar.

 

Leonardo Pio da Silva Campos

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet