Polícia Quarta-Feira, 29 de Julho de 2020, 13h:24 | - A | + A

TIROTEIO EM CUIABÁ

Soldado da PM e filho de sargento estão entre os mortos em confronto com o Bope

Filho de sargento estaria utilizando a arma do pai. Confronto com os policiais do Bope deixou seis mortos na manhã desta quarta.

Hallef Oliveira

Da redação

PMMT

confronto policial 2907.jpeg

Local onde ocorreu o tiroteio entre os suspeitos e o Bope na manhã desta quarta-feira (29),

Um soldado da Polícia Militar está entre os seis suspeitos mortos na manhã desta quarta-feira (28) após um confronto com policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope), em Cuiabá. Identificado como Oacy da Silva Taques Neto, de 30 anos, o soldado atuava no 3º Batalhão da PM e estava afastado de suas funções para tratamento médico.

 

Um filho de um sargento da PM também está entre os seis suspeitos mortos no tiroteio. Leonardo Vinicius Pereira de Moraes, de 24 anos, estava com a arma do pai. O policial chegou a registrar um boletim de ocorrência na noite desta terça-feira (28), informando o desaparecimento do armamento. O suspeito utilizava tornozeleira eletrônica e tinha passagens por tráfico de drogas.

 

O grupo estava em dois veículos, um deles com vidros blindados, e planejava um assalto em um condomínio de luxo no bairro Itamaraty. Nos veículos foram encontrados rádios de comunicação com a frequência da PM, máscaras e seis armas, sendo três pistolas e seis revólveres.

 

Reprodução

Soldado Oacy Taques.jpg

Soldado Oacy Taques, de 30 anos. Estava entre os seis suspeitos que foram mortos pela polícia.

A troca de tiros se iniciou após os suspeitos se recusaram a parar na abordagem dos policiais do Bope. Uma perseguição começou e terminou em uma região de mata atrás do Residencial Belvedere 2. Um dos suspeitos tentou fugir a pé pela mata após ser baleado, mas não resistiu.

 

Há informações de que alguns outros integrantes da quadrilha estão foragidos. A Polícia Militar ainda não divulgou a identidade de todos os suspeitos mortos. As investigações seguem também com a Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

Em nota, a assessoria da Polícia Militar informou que "toda a ação policial, o confronto, a participação do soldado Taques e o sumiço da arma do sargento serão objetos de procedimentos investigatórios na Corregedoria-Geral da PMMT".

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet