Política Sexta-Feira, 14 de Fevereiro de 2020, 10h:39 | - A | + A

PERDA DO MANDATO

Abílio diz que não renuncia e aguarda Câmara definir sobre cassação

O relatório da Comissão de Ética vai ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa, antes de ser votado em Plenário

Suzi Bonfim

da Redação

Assessoria

 Abílio Júnior

 

“Não renuncio, mesmo que existisse a possibilidade de manter os meus direitos políticos. Vou para votação porque quero mostrar quem sãos os vereadores que estão ligados com o prefeito (Emanuel Pinheiro - PMDB). Não renuncio!”, assegurou o vereador Abílio Jr, sobre a possibilidade de abrir mão do mandato dele na Câmara de Cuiabá, antes da votação em Plenário do pedido de cassação aprovado pela Comissão de Ética e Quebra de Decoro do parlamento municipal, nesta quarta-feira (12.02).

 

Abílio Jr, em entrevista ao jornalista Antero Paes de Barros, na rádio Capital FM, afirmou que os advogados estão analisando qual o melhor momento para judicializar para reverter o relatório da Comissão de Ética da Câmara de Cuiabá. Há duas questões que estão sendo consideradas, segundo o vereador. “Se judicializar agora, pode não haver a votação da cassação em Plenário. É isso que estamos avaliando: se vamos esperar a votação para mostrar quem é quem. Mesmo que a gente fique fora da Câmara. Mais valioso que o Abílio ficar na Câmara Municipal e, depois ter outro processo de cassação, é mostrar para o povo saber escolher na hora de ir para as urnas: este está com o prefeito do paletó, estes daqui não votaram pela cassação do prefeito, votaram pelo aumento de salário do prefeito, pela taxação do Uber, estão protegendo o prefeito do paletó e estão aqui querendo cassar o Abílio”, justificou. 

 

O vereador que faz oposição ao prefeito de forma sistemática, criticou o relator do processo na comissão de Ética, vereador Ricardo Saad (PSDB). Para Abílio Jr., o relator mostrou uma visão “caolha” da situação ao destacar no parecer que o agente público tem que ter uma atuação idônea.

 

“Ele (Saad) diz que é necessário ter credibilidade. Ele não pode ter a sua imagem pública abalada. Tem que ter imagem de confiança e ele não olha isso no prefeito que está no caso das esmeraldas falsas, da nota fiscal falsificada, na Operação Caramuru, no dinheiro no bolso do paletó, com vídeo e, agora, na delação do Riva (ex-deputado José Geraldo Riva) com R$ 3 milhões. Será que eles (na Comissão) são caolhos, olham o Abílio e não olham o prefeito? O Abílio que denuncia está manchando a imagem do poder público e o prefeito que está roubando, é protegido por eles?”, questionou o vereador do PSC.

 

O parlamentar, que aguarda o parecer do mérito do processo contra ele na Comissão de Constituição e Justiça  (CCJ) considera que o relatório da Comissão de Ética é uma fraude porque não observou os argumentos e as provas apresentadas pela defesa dele e, ainda, oferece o pedido de cassação com dois objetos infundados. “Primeiro, no caso do Hospital  São Benedito, em  Cuiabá onde as provas deles estão comprometidas e nas nossas, estão anexadas com vídeos da situação (a investigação feita no local como presidente da CPI da Saúde), e sobre as ameaças e nenhum dos vereadores que eu disse que me ameaçaram (Adevair Cabral e Renivaldo Nascimento  do PSDB, Chico 2000 (PR)  e Juca do Guaraná (Avante)  fez qualquer representação contra mim seja na Câmara ou na polícia”, constatou.  

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet