Política Domingo, 16 de Fevereiro de 2020, 07h:00 | - A | + A

ENTREVISTA DA SEMANA

Abílio revela proposta de fim da CPI do Paletó para não ser cassado

O vereador do PSC afirma que a troca foi sugerida ao vereador Marcelo Bussiki (PSB), presidente da comissão. Como não foi aceita, o processo para cassar o mandato de Abílio teria sido agilizado

Suzi Bonfim

da Redação

Assessoria

Abílio Jr.

 


 

Esta foi uma das semanas mais movimentadas na Câmara de Vereadores de Cuiabá. A aprovação de pedido de cassação do vereador Abilio Jacques Brunini Moumer (PSC) mexeu com o cenário. Abílio, no primeiro mandato no parlamento municipal incomoda com provocações quase que diárias no plenário e fora dele.

 

O tom das suas colocações e as ações de Abílio Jr. chamam a atenção assim como o uso das redes sociais - mais pela forma do que pelo conteúdo - para apontar  "desmandos" da gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), a quem faz oposição visceral. 

 

O vereador Abílio Jr avalia que está realizando um bom trabalho e não pensa em mudar sua forma de atuação. Se diz feliz com o resultado. Mas, vereador que estreia na política, corre o risco de perder os direitos se o mandato for cassado pelo Plenário da Câmara. O relatório da Comissão de Ética, do vereador Ricardo Saad (PSDB), está  na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que vai avaliar aspectos constitucional e legal da representação contra o vereador do PSC por falta de decoro parlamentar. O presidente da comissão de Ética, vereador Toninho de Souza (PSD), e o vereador Vinicius Hugueney (PP), membro da comissão, acompanharam o voto do relator.

 

Nesta entrevista ao PNBonline, Abílio Jr reafirna que não renuncia e acusa o presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão (PTB), de tentar "trocar" a manutenção do mandato dele pelo fim da CPI do Paletó, que investiga o posssível recebimento de propina pelo então deputado estadual e atual prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB). Confira:

  

PNBonline - Diante da aprovação do pedido de cassação do mandato na Comissão de Ética, como o senhor avalia a sua atuação na Câmara de Vereadores de Cuiabá?

Abílio Jr. - Eu fico lisonjeado pela Câmara e pela Comissão de Ética, presidida pelo vereador mais ético da casa, Toninho de Souza. O dr. Ricardo Saad, médico, pede minha cassação por fiscalizar a Saúde e os vereadores que protegem o prefeito do paletó querem cassar meu mandato. É uma honra e uma grande alegria. Ficaria muito triste se, por eles, recebesse moções de aplausos. Aí teria dúvida se estou fazendo um bom trabalho.

 

PNBonline  - O senhor aponta erros na sua forma de agir. Poderia ter feito oposição de outra maneira?

Abílio Jr. - Eu observo vários erros, um deles foi não mostrar mais da Câmara, dos bastidores do poder. As pessoas precisam conhecer o que é isso aqui. Sobre fazer oposição de outra maneira, até poderia, mas sou feliz com os resultados que obtivemos e isso é fruto desta forma que trabalhamos.

 

PNBonline - Em quase quatros anos de mandato, como o senhor analisa as discussões em Plenário, muitas de assuntos que não têm nenhuma relevância para o cidadão, enquanto questões sobre saúde, educação, segurança, acabam ficando em segundo plano?

Abílio Jr. - Em verdade, muitas das discussões têm grande relevância para população. Contudo, estas não têm a mesma repercussão das discussões que envolvem conflitos pessoais. Por exemplo, em todas as discussões da saúde eu estou presente. Todo relatório quadrimestral da saúde que é aberto a toda população, eu estou presente e faço todos os debates necessários, bem como fiscalização e denúncias. Sobre leis, orçamento, educação e segurança, no que tange à esfera municipal, temos participado de todos os debates. O problema é que as brigas chamam mais atenção. Mas quem nos acompanha nas redes sociais conhece o nosso trabalho. Sou um dos vereadores com maior número de fiscalizações, indicações e projetos de lei apresentados. 

 

PNBonline - Qual a expectativa em relação à CPI do Paletó?

Abílio Jr.-  A CPI do Paletó é uma guerra de combate à corrupção. Temos visto o esforço do presidente da Câmara e dos vereadores da base do prefeito para travarem a CPI. Nos últimos dias, o presidente da Câmara, Misael Galvão (PTB), pediu ao presidente da Comissão, vereador Marcelo Bussiki (PSB), para segurar a CPI que ele seguraria a minha cassação. O relator do meu processo, vereador Ricardo Saad, disse que o Bussiki não aceitou a proposta e que, por isso, meu processo acelerou. Eu fico cheio de orgulho do vereador Marcelo Bussiki. Com corruptos não se negocia.

 

PNBonline  -- O senhor pode renunciar considerando que pode não haver recursos contra a cassação do mandato?

Abílio Jr. -  Não renuncio! Prefiro ir à forca e olhar nos olhos de quem votar para minha cassação, protegendo o “prefeito do paletó" e mostrar para o povo os vereadores da Câmara de Cuiabá, quem é quem de verdade. E, cassado ou não, vou trabalhar para, nas urnas, tirar estas pragas corruptas da Câmara de Cuiabá, bem como o “prefeito do paletó”. Não renuncio! Mais vale a luta que o mandato.

 

PERFIL

Nome: Abilio Jacques Brunini Moumer

Idade: 36 anos 

Data e local de nascimento:  Cuiabá, em 31/01/1984

Profissão: Arquiteto 

Estado Civil: casado  há 14 anos com Samantha Iris, não tem filhos 

Na política, desde 2016, quando foi eleito pelo PSC com 2.623 votos.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet