Política Domingo, 18 de Agosto de 2019, 05h:55 | - A | + A

ELEIÇÕES 2020

Barbudo é candidato a prefeito e candidato ao senado

Pedro Pinto de Oliveira

Da Redação

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL), em entrevista ao Midianews, confirmou que pode ser candidato a prefeito de Cuiabá e candidato ao Senado, caso Selma Arruda, do seu partido, seja cassada pela Justiça Eleitoral. Ou seja, Barbudo é opção do PSL para qualquer eleição à frente. 

 

Na entrevista, Barbudo poupa o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), preferindo não comentar o escândalo do paletó, quando Pinheiro, então deputado estadual, foi filmado pela turma de Silval Barbosa enchendo os bolsos do paletó com o que seria dinheiro do mensalinho dos parlamentares. Barbudo não se posiciona, não cobra explicação política e reduz o escândalo à “vida pregressa” de Emanuel Pinheiro.

 

Sobre o problema dele [episódio do paletó] – antes que vocês perguntem –, ele não tem condenação. Enfim, a sociedade exige uma resposta. Mas como eu disse, tem a possibilidade, não estou dizendo que vai coligar. Eu, enquanto presidente do PSL, não tenho nada contra o Emanuel. Sempre me tratou muito bem, já me visitou em Brasília, enfim, sou das nuvens da paz. Não quero saber de rolo de vida pregressa de ninguém”.

 

Já sobre a farra dos gastos dos deputados com o dinheiro da Câmara Federal, Nelson Barbudo bate duro contra o pastor evangélico e seu colega de parlamento, deputado Pastor Feliciano, que pediu reembolso de R$ 157 mil para pagar despesa com um dentista.

 

“Acho que falta vergonha na cara! Inclusive é um pastor evangélico, acho vergonhoso. Cada um cuida de si. Agora, fala uma coisa, prega uma coisa e faz outra!? Eu acho vergonhoso! Se eu quiser tratar do meu corpo, eu ganho meu dinheiro e pago. Agora, pegar dinheiro do contribuinte e gastar R$ 150 mil, isso é uma falta de vergonha. Falta de caráter, eu considero. E pode publicar que é o Pastor Feliciano. O Nelson Barbudo falou que ele não tem vergonha de pegar o dinheiro do contribuinte”.

 

O deputado do PSL tem seu nome especulado para ser candidato a prefeito de Cuiabá. Mesmo não sendo um político da Capital e sem ter qualquer relação com a história do município, Nelson Barbudo acredita que isso não será problema, caso seja candidato do partido.

 

"Não vejo desvantagem, porque o povo brasileiro está procurando pessoas que tenham um perfil para o cargo. Evidentemente que tem um peso o “bairrismo”, a paixão, vamos dizer assim. O “peixe com maxixe” pode até ter uma influência. Mas, na visão ampla e geral da política moderna, as pessoas enxergando isso no político, tem a possibilidade. Hoje em dia, busca-se um gestor patriota, um gestor correto, que não seja contaminado com processos políticos de corrupção, de lavagem de dinheiro. E, nesses quesitos, eu, modéstia à parte, estou muito bem. Sou um político ficha-limpa. Então, tem os dois lados da balança para serem avaliados".

 

Sobre a possibilidade de ser candidato à vaga ao Senado no lugar da ex-juíza Selma Arruda, no caso da cassação do mandato dela pela Justiça Eleitoral, Barbudo disse que também está pronto para a disputa, mas ressalta que essa disposição não é um gesto de "enterrar viva" a companheira de partido.

 

"Sempre respondi que não sou candidato ao Senado. A Selma tem mandato. Não posso enterrar defunto vivo. Foi aventado. Se, por ventura, esses fatos se concretizarem - Deus me livre porque sou um amigo, irmão da Selma, desejo os oito anos de mandato a ela –, o PSL vai se reunir e, se a executiva achar que eu sirvo, coloco meu nome. Mas veja bem: a Selma não foi cassada! Mas, na hipótese de ser, vou tentar sim ir para o embate, porque o PSL não pode ficar sem um senador".

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet