icon clock h

Terça-Feira, 12 de Maio de 2020, 16h:38 | - A | + A

PODEM ME CHAMAR DE TRAIDOR

Base de Bolsonaro entra em colapso após negociações com o Centrão

Na tentativa de conseguir maior apoio no Congresso Nacional, Bolsonaro teria oferecido cargos no Governo a partidos do Centrão

Ana Adélia Jácomo

Da Redação

major olímpio

 

Líder do PSL no Senado, Major Olímpio, criticou no Twitter nesta terça-feira (12) amarrações políticas que vêm sendo feitas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Na tentativa de conseguir maior apoio no Congresso Nacional, Bolsonaro teria oferecido cargos no Governo a partidos do Centrão, grupo de partidos de centro e centro-direita.

 

A medida foi duramente criticada pelo aliado, que chegou a afirmar que poderiam “bater e o chamar de traidor”, mas jamais concordará com a estratégia usada por Bolsonaro. Segundo ele, esse tipo de manobra política propicia a corrupção e o desvio de recursos públicos.

 

“O que gerou toda corrupção no Brasil foi o ‘toma lá, dá cá’. Foi o acordo pra que partidos colocassem seus quadros dentro do governo. Porteira fechada. Pode contratar quem quiser. Licitar o que quiser e roubar o que quiser. Isso gerou o mensalão, o petrolão. Na campanha nós dissemos: toma lá, dá cá, jamais. Não justifica. E agora eu vejo com muita decepção o Governo abrir as portas para partidos com nomeações, que vai gerar corrupção. Vai gerar desvio e vai gerar a desgraça da corrupção”.

 

Major Olímpio se refere a algumas nomeações feitas pelo presidente recentemente, como Fernando Marcondes de Araújo Leão (Avante), para a direção-geral do Dnocs (Departamento Nacional de Obras Secas); Marcio Sidney Sousa Cavalcante, como o novo presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), vinculada ao Ministério da Saúde; e Carlos Alberto Decotelli, como presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

 

“Colocar gente no departamento na Obras Contra a Seca, na Funasa, no Dnit, no Fundo Nacional de Desenvolvimento Escolar, tomar secretarias importantes da Economia (do Paulo Guedes) porque os filhos do presidente foram para esse partido? É o caminho de volta para a corrupção. Pode me chamar de traíra, mas eu não vou concordar com isso jamais. Pode me bater mas eu vou continuar na lei e no que é justo e correto. É o presidente quem precisa refletir. Não sou eu quem está traindo os compromissos com o povo brasileiro”, completou ele.

 

O fato é que Bolsonaro tem intensificado reuniões com dirigentes do Centrão (PP, PL. Republicanos, PTB, PSD e Solidariedade). O DEM também faz parte do Centrão, mas líderes do partido tem ficado de fora das reuniões, já que a relação com a legenda anda enfraquecida devido aos constantes conflitos entre Bolsonaro e o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), além da polêmica demissão do ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta (DEM).

 

Veja AQUI declarações do senador Olímpio

 

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Ana Arruda - 18/05/2020

Major Olímpio, estou em pânico com o que está acontecendo. Ele está jogando no lixo nossos votos. Prefere ouvir a voz insana dos filhos do que a voz de quem confiou na honestidade de suas intenções. O apoio da oposição ele nunca teve e, com os frequentes ataques dos filhos em redes sociais, assistimos uma debandada de aliados, que são chamados de traidores, sendo que ele mesmo está traindo os nossos ideais. Nossa bandeira verde-amarela, empunhada com tanto orgulho, está manchada de sangue.

1 comentários




Informe Publicitário






NEWSLETTER

Cadastre-se e fique por dentro dos últimos acontecimentos e relatos do pnbonline.