Política Terça-Feira, 02 de Junho de 2020, 09h:46 | - A | + A

REABERTURA DO COMÉRCIO

Casa Civil diz que Emanuel não tem coerência e desrespeita população

“Aumentam os casos de coronavírus em Cuiabá e qual a decisão da Prefeitura? Reabre totalmente o comércio!", reclamou Carvalho.

Ana Adélia Jácomo

Da Redação

Governo de Mato Grosso

Mauro Carvalho - Casa Civil

 

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, classificou como “lamentável” o decreto municipal que prevê a reabertura dos shoppings, bares e restaurante de Cuiabá a partir desta quarta-feira (3).

 

Dando continuidade às críticas feitas pelo governador Mauro Mendes (DEM) ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), Carvalho afirmou que a decisão do Palácio Alencastro não tem coerência e que demonstra desrespeito com a população cuiabana.

 

Os casos da doença em Cuiabá têm crescido exponencialmente. Há exatos 30 dias, a capital tinha registrado 101 casos da covid-19 e dois óbitos. Os dados diários referente à doença podem ser acessados AQUI.

 

De acordo com o último balanço divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde nesta segunda-feira (1), Cuiabá tem agora 795 casos confirmados de residentes no município e 257 de não residentes, mas que estão sendo atendidos na capital, somando 1.052 infectados. Foram registrados 11 óbitos de residentes e 16 de não residentes. E a perspectiva é de que os casos tenham crescimento de 65% apenas nesta semana.

 

“Aumentam os casos de coronavírus em Cuiabá e qual a decisão da Prefeitura? Reabre totalmente o comércio! Eu não tenho nada contra reabrir o comércio, muito pelo contrário. O que eu digo é que lá atrás a gente dizia que não existia necessidade nenhuma de fechar e ele foi literalmente contra, dizendo que o Estado não tinha que opinar e fechou tudo. Agora, no auge da pandemia, ele abre. Ou seja, não tem coerência nenhuma, não tem técnica, conceito e é lamentável a falta de respeito da Prefeitura de Cuiabá”, disse o secretário em entrevista à Rádio Capital.

 

GUERRA DE FISCALIZAÇÕES

 

Carvalho comentou ainda a ação judicial proposta pela Prefeitura de Cuiabá contra o Estado, alegando que não teve acesso aos Hospitais Estaduais Santa Casa e Metropolitano. Na tarde desta segunda-feira (01), a equipe da Central de Regulação Municipal teria sido impedida de entrar nos locais.

 

A ação judicial é claramente uma resposta da prefeitura após também ter sido acionada por supostamente proibir que fiscalizações do Estado fossem feitas no Hospital Municipal de Cuiabá, no Hospital São Benedito e no Hospital e Pronto Socorro de Cuiabá.

 

O chefe da Casa Civil afirmou que não tem conhecimento de que a equipe da Saúde de Cuiabá foi impedida de fiscalizar as unidades, no entanto, deixou claro que é, de fato, necessário ter autorizações e equipamentos de proteção individual (EPIs) para efetuar a entrada nos hospitais.

 

“Eu não tenho esse conhecimento, mas se houve esse fato realmente precisa de autorização. Nós estamos tratando uma pandemia, precisa de EPIs para entrar e não tem como deixar qualquer pessoa entrar em um hospital para ser contaminado. O Metropolitano atende só casos de covid-19. Como deixar as pessoas correrem esse risco? Nós entramos na Justiça para fazer uma fiscalização. Um negócio que é legal.  Não existe empecilho, nada a esconder. A gestão nossa é transparente, coisa que Cuiabá nunca teve”, alfinetou ele.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet