Política Quinta-Feira, 14 de Novembro de 2019, 10h:50 | - A | + A

PREVIDÊNCIA

Chefe da Casa Civil diz que reforma vai gerar economia de R$ 24 bilhões

Da Redação

Governo de Mato Grosso

Mauro Carvalho - Casa Civil

 

Os integrantes do Conselho da Previdência de Mato Grosso têm um prazo de cinco dias úteis, a contar a partir desta quinta-feira (14), para estudar a proposta apresentada pelo Governo do Estado e apresentar sugestões para melhorar o projeto. A proposta foi apresentada ao Conselho na manhã de quarta-feira (13) e pediram vista do projeto os conselheiros José Antônio Borges, procurador-geral de Justiça do Estado; o desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça; Carlos Roika, representante dos segurados da Defensoria Pública; Lázaro da Cunha Amorim, dos segurados do MP; e Luiz Cláudio Scheffer, dos segurados do Executivo. 

 

A proposta de reforma estadual prevê mudanças que seguem o molde da reforma da previdência nacional, recém promulgada pelo Congresso Nacional. O principal ponto da reforma prevê o aumento da alíquota de contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14%. 

 

O chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, defende que melhorias sejam apresentadas pelas partes e que a proposta seja logo encaminhada para apreciação e aprovação da Assembleia Legislativa. “O que foi construído em Brasília não é a melhor reforma, mas diminui o déficit, diminui o dinheiro que o Governo tem que pagar aos aposentados tirando do seu caixa. Atualmente o Governo do Estado tira R$ 115 milhões por mês, o que dá quase R$ 1,4 bilhão por ano. É dinheiro que poderia estar sendo investido na saúde, segurança, infraestrutura, RGA”, explicou Carvalho, em entrevista ao jornalista Antero Paes de Barros, na Capital FM na manhã desta quinta (14).

 

Mauro Carvalho disse ainda que o atual sistema da previdência estadual é extremamente deficitário e medidas têm que ser tomadas para, pelo menos, minimizar o impacto nas contas públicas. “Em 10 anos, se não tiver reforma, o Governo tem que tirar R$ 30 bilhões do seu caixa. Esses R$ 30 bilhões são para pagar aposentados, que é a diferença do que a MT Prev recolhe e o que paga. Com a reforma, essa diferença cai para R$ 6 bilhões. Vamos deixar de colocar na previdência R$ 24 bilhões. Isso significa muito investimento em todos os setores”, argumentou o secretário. 

 

O Conselho de Previdência é o órgão de deliberação superior da Previdência Estadual, vinculado ao Governador do Estado, tendo por finalidade assegurar o regime de previdência de caráter contributivo e solidário, garantindo o equilíbrio financeiro e atuarial. Tem cadeira no Conselho os chefes dos Poderes, e representantes dos segurados.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet