Política Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2020, 09h:21 | - A | + A

POLÍTICA

CPI do Paletó retorna em fevereiro com quatro depoimentos

Ex-governador Silval Barbosa e ex-chefe de gabinete Silvio Corrêa devem depor na Comissão que investiga o prefeito.

Da Redação

Câmara de Cuiabá

Plenário Câmara de Cuiabá

 

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) por suposto recebimento de propina enquanto era deputado estadual será retomada em fevereiro na Câmara Municipal. O presidente da CPI, vereador Marcelo Bussiki (PSB), afirma que quatro depoimentos já estão previstos na volta ao trabalho.

 

A retomada da chamada CPI do Paletó atende a uma decisão da desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Helena Maria Bezerra Ramos. A magistrada revogou a própria decisão que havia interrompido os trabalhos da CPI, em outubro de 2019, atendendo a um pedido do presidente da Câmara, vereador Misael Galvão.

 

“Nós iremos retomar os trabalhos na primeira semana de fevereiro. Já temos quatro oitivas autorizadas e vamos deliberar sobre possíveis novas oitivas necessárias e outros assuntos relacionados à comissão. Os trabalhos continuam”, disse Bussiki.

 

Com a nova decisão judicial, os membros da comissão serão oficiados para a retomada do trabalho. Fazem parte da Comissão os vereadores Toninho de Souza (PSD) e Sargento Joelson (PSC), relator e membro da CPI, respectivamente.

 

Novos depoimentos

 

Bussiki explica ainda que o trabalho segue de onde parou, com a definição de datas para as oitivas já deliberadas. Além disso, deverão ser analisados eventuais pedidos de novos depoimentos e requisição de documentos que possam subsidiar os trabalhos da comissão.

 

Antes da suspensão da CPI, foi deliberado que serão realizadas as oitivas do ex-governador Silval Barbosa e seu ex-chefe de gabinete, Silvio César Correa. Também serão ouvidos o ex-secretário de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme), Alan Zanata, e o servidor público Valdecir Cardoso de Almeida.

 

Silval Barbosa deverá ser ouvido em razão do vídeo, anexado em sua delação premiada formalizada junto à Procuradoria Geral da República (PGR), em que Emanuel Pinheiro aparece recebendo dinheiro entre os anos de 2012 e 2013. O dinheiro seria propina para que ele apoiasse os projetos do Executivo na época em que era deputado estadual.

 

Já Silvio César Corrêa foi o responsável por gravar o prefeito Emanuel Pinheiro recebendo maços de dinheiro e os colocando no paletó, enquanto o servidor Valdecir Cardoso de Almeida foi o responsável por instalar a câmera usada para a gravação.

 

O ex-secretário Allan Zanata, por sua vez, será convocado pois foi o responsável por gravar um áudio junto a Silvio Corrêa, cujo conteúdo supostamente colocaria em risco a delação do ex-governador Silval e, por consequência, o vídeo em que Emanuel Pinheiro é flagrado. O áudio foi encontrado na casa de Emanuel Pinheiro pela Polícia Federal, durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão durante a Operação Malebolge.

 

Ao todo, a CPI terá 120 dias para sua conclusão. O prazo de encerramento dos trabalhos pode ser prorrogado mediante a solicitação da comissão. Assim que elaborado um relatório final, o documento deverá ser colocado para aprovação do plenário.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet