Política Sexta-Feira, 31 de Julho de 2020, 09h:06 | - A | + A

COMBATE AO CORONAVÍRUS

Divergência de dados da covid-19 provoca cobrança na Assembleia Legislativa

Informações levantados pelo Cosems junto aos municípios mostram quase 12 mil exames na fila esperando resultado

Da Redação

Com assessoria

 

ALMT

AL sessão virtual

 

Divergências no volume de exames em análise para diagnóstico da covid-19 no Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso (Lacen) foram apontadas pelo Conselho das Secretarias Municipais de Saúde de Mato Grosso (Cosems MT). O boletim oficial da covid-19 divulgado pela Secretaria de Saúde de Mato Grosso (SES-MT) na quarta-feira (29) informa que há 2.783 exames em análise no Lacen. Porém, um levantamento realizado pelo Cosems MT mostrou uma fila quase seis vezes maior, com 11.831 testes ainda sem resultado. Nesta sexta-feira (31), o deputado estadual Lúdio Cabral (PT) disse que vai requerer à SES-MT informações sobre o tamanho real da fila de testes RT-PCR para covid-19 pendentes no Lacen.

 

Os números divulgados pelo estado no boletim da covid não batem com o levantamento feito pelo Cosems junto aos municípios. A realização de poucos testes, agravada pela demora nos resultados, pode mascarar os números da covid, o que prejudica a análise do cenário real da pandemia em Mato Grosso, dificultando o planejamento de ações. Vamos apresentar o requerimento na próxima sessão da Assembleia Legislativa, na terça-feira (4), para obtermos informações sobre a situação real da quantidade de testes represados no Lacen", afirmou Lúdio.

 

O presidente do Cosems, Marco Felipe, enviou um questionário aos secretários de Saúde dos municípios para que informassem quantos testes estão represados no Lacen. Ele disse que 121 municípios responderam e informaram um total de 11.831 exames na fila até o final da manhã de quinta-feira (30).

 

“Temos muita preocupação com a demora nos resultados dos testes, que muitas vezes levam duas semanas para ficarem prontos. Os municípios têm sofrido muita pressão por isso. O paciente que faz o exame precisa do resultado em tempo hábil. Mas muitas vezes o resultado só vem depois que já passou o período de quarentena. Além disso, o resultado dos testes impacta no grau de risco dos municípios e do estado. Há preocupação também que a classificação de risco esteja abaixo da realidade em muitos casos”, explicou Marco Felipe.

 

Parceria com universidades

Lúdio destacou a necessidade de ampliar a rede de laboratórios para aumentar a testagem em Mato Grosso e desafogar o Lacen, que está recebendo uma demanda muito alta de teste sem ter pessoal suficiente para atender rapidamente.

 

“Sabemos que os trabalhadores do Lacen estão sobrecarregados e é urgente que o estado crie condições para ampliar a capacidade de testagem. Firmar parceria com as universidades públicas do estado, como IFMT, UFMT e Unemat, poderia tirar a sobrecarga do Lacen e permitir realização dos testes RT-PCR mais rapidamente e mais próximos de onde as pessoas vivem, de forma descentralizada”, disse o deputado.

 

A ampliação da testagem por meio do exame RT-PCR é uma das medidas recomendadas por Lúdio Cabral desde o início da pandemia. Essa recomendação e diversas outras estão na carta aberta enviada por Lúdio ao governador e autoridades do estado em junho.

 

O deputado, que é médico sanitarista, vem cobrando também a realização de um inquérito de soroprevalência, com testes sorológicos, para ter dados mais precisos sobre o estágio da pandemia em Mato Grosso. Os dois tipos de testagem poderiam ser realizados em parceria com as universidades públicas do estado, a custo mais baixo.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet