Política Sexta-Feira, 29 de Maio de 2020, 15h:03 | - A | + A

TROCA DE FARPAS

Documento comprova exclusão de 40 leitos da covid pela Prefeitura de Cuiabá

Em ofício assinado pelo secretário municipal de Saúde, Luiz Antônio Possas de Carvalho, Prefeitura reconhece fecha os leitos para o tratamento da Covid-19.

Da Redação

Com assessoria

Christiano Antonucci

Leito hospital metropolitano

 

O governador Mauro Mendes (DEM) e o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) têm dado declarações nos últimos dias com acusações mútuas sobre ações de combate ao novo coronavírus, mais especificamente sobre os leitos destinados para pacientes com a doença. Uma das trocas de farpas entre os dois gestores era com relação ao cancelamento de leitos de UTI para a covid-19, que a Prefeitura de Cuiabá negava que tivesse ocorrido. O Governo do Estado, então, apresentou à imprensa um documento que recebeu da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá alterando a relação dos leitos de UTIs para tratamento da covid-19, em que exclui 40 leitos que haviam sido habilitados junto ao Governo Federal.

 

O Ofício nº 355/GAB/SMS/2020 é datado do dia 27 de maio de 2020 e foi assinado pelo secretário municipal de Saúde, Luiz Antônio Possas de Carvalho. A própria Prefeitura reconhece no documento que fecha os leitos para o tratamento da Covid-19 e que o recurso foi recebido para usar os leitos por 90 dias.

 

“Em relação aos valores já repassados pelo Ministério da Saúde através da supracitada portaria de habilitação, estaremos em contato com entes Federativos para proceder a devolução de recurso dos 40 leitos de UTIS referentes às competências de junho e Julho /2020”, conforme trecho extraído do documento da Secretaria Municipal de Saúde.

 

Em tabela anexa ao documento, há 145 leitos para covid-19. E agora, em proposta para o mês de junho, a Prefeitura retira 40 leitos, reduzindo para 105 leitos de UTIs.

 

A portaria do Ministério da Saúde habilitou os leitos a partir do mês de abril para o período de 90 dias e pagou adiantado pelos leitos. Os leitos deveriam ficar disponíveis a população entre os meses de abril, maio e junho. Mas, na proposta encaminhada pela prefeitura, informa a retirada dos 40 leitos já no mês de junho.

 

O Governo do Estado também conseguiu na Justiça o direito de fiscalizar os leitos por meio da equipe de supervisão hospitalar da Central de Regulação Estadual da Secretaria de Estado de Saúde. A ação na Justiça foi necessária porque a equipe foi impedida de adentrar nas unidades de saúde do município, especificamente no Hospital Municipal de Cuiabá, no Hospital São Benedito e no Hospital e Pronto Socorro de Cuiabá. Um dos motivos da fiscalização é que existe o cofinanciamento estadual dos leitos de UTI destinados à Covid-19. Ou seja, o Estado paga pelos leitos.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet