Política Quarta-Feira, 25 de Março de 2020, 10h:38 | - A | + A

PRONUNCIAMENTO EM REDE NACIONAL

Emanuel diz que discurso de Bolsonaro causa angústia e confunde a população

Prefeito garantiu que Cuiabá continuará com as medidas adotadas para contenção da pandemia do coronavírus (Covid-19).

Ana Adélia Jácomo

Da Redação

Prefeitura de Cuiabá

Emanuel Pinheiro

 

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), reagiu nesta quarta-feira (25) às declarações polêmicas do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) e disse que as afirmações “deixam a população insegura”. Ele garantiu que a capital de Mato Grosso continuará com as medidas adotadas para contenção da pandemia do coronavírus (Covid-19).

 

Pinheiro, por meio de nota oficial, disse que o discurso em rede nacional do presidente causou “angústia” e pediu para que a Organização Mundial da Saúde (OMS) aumento os diálogos com o governo brasileiro.

 

"Recebo com muita angústia essa fala do presidente Bolsonaro. Cuidar e proteger é uma necessidade. O mundo caminha seguindo essas orientações, que garantem o isolamento social, como é preconizado pelo Ministério da Saúde, pela Organização Mundial de Saúde. Trabalhamos seguindo as orientações, inclusive de técnicos que integram a força-tarefa instituída pelo Governo Federal. Eu respeito a visão, mas defendo um diálogo maior. A OMS aponta uma direção e o presidente vai por outro. Isso deixa a população insegura, mas nós vamos seguir os protocolos de segurança para evitar a disseminação do coronavírus", avalia o prefeito.

 

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), também se manifestou e, em alinhamento com o prefeito de Cuiabá, sustenta que o Estado continuará com as medidas de contenção das interações sociais. A indicação continuar sendo para que as pessoas fiquem em casa.

 

Em Mato Grosso, há 269 casos suspeitos de coronavírus. Há sete casos confirmados: Cuiabá (5), Várzea Grande (1) e Nova Monte Verde (1). A fala do presidente, pedindo pelo fim da “histeria” por conta de uma “gripezinha”, causou grande repercussão negativa entre os estados do país. Em Cuiabá, uma das medidas adotadas pelo prefeito foi o fechamento de todo comércio, com exceção dos serviços essenciais, como farmácia e mercado, por exemplo.

 

Pinheiro deve entregar ainda nesta sexta-feira (27) um relatório a Mendes que aponte o número de vagas na saúde pública que poderão ser utilizadas para receber pacientes graves de coronavírus. A ideia é aumentar os locais adequados para o isolamentos dos infectados. O Governo já anunciou ainda a abertura de 200 novos leitos no Hospital Metropolitano de Várzea Grande.

 

Na contramão de todas as medidas de contenção da disseminação da doença, Bolsonaro se mostrou mais preocupado com a economia nacional. O tema, de fato, tem causado grande reclamação do setor produtivo. Em Mato Grosso, a Assembleia Legislativa tem mediado a crise econômica por meio da nova Comissão de Acompanhamento Social. 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet