Política Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, 16h:32 | - A | + A

CRISE NO DEM ?

Garcia contesta fala de Júlio Campos: “ele sabe que todos foram ouvidos”

Fábio Garcia, presidente estadual do Democratas, teria nomeado comissão provisória sem o conhecimento de nomes importantes da sigla como Campos.

Safira Campos

DA REDAÇÃO

Reprodução

pagejuliofabio.jpg

 

A cúpula do partido Democratas (DEM) em Mato Grosso esteve envolta em discordâncias nos últimos dias. O presidente estadual da sigla e suplente no Senado, Fábio Garcia, teria nomeado uma comissão provisória municipal sem o conhecimento de nomes importantes para o partido como o ex-senador Júlio Campos e o atual presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Eduardo Botelho.  

 

Segundo Campos, a atitude do presidente estadual foi tomada sem a autorização da executiva do partido e não levou em consideração nomes tradicionais, o que teria levantado reclamações internas: “saiu essa nova comissão provisória, inicialmente composta por oito membros, designadas pelo presidente Fábio Garcia, sem a devida autorização da executiva estadual. Houve realmente uma reclamação muito justa, com o meu apoio. Fábio nomeou oito dos 15 membros”, afirmou o ex-senador ao PNB Online.

 

Campos, entretanto, minimizou o episódio, negando uma possível crise e afirmando se tratar apenas de falta de comunicação interna: “não há crise interna. É só consertar o que foi feito e isso acontecerá esta semana ainda. Foi apenas um deslize do Fábio. Ele nomeou oito e agora serão nomeados mais sete, que serão pessoas do DEM tradicional, anterior à entrada do Fábio”.

 

Fábio Garcia, entretanto, desmentiu o ex-senador e afirmou que já era de seu  conhecimento a nomeação da comissão: “o que eu fiz foi pegar nomes que já estavam previamente conversados com o governador Mauro Mendes, com o senador Jayme Campos, com o presidente do ALMT Eduardo Botelho, com o Júlio Campos e outros. Eram nomes acordados entre todos. Um dos nomes inclusive é do Júlio Campos, para que ele esteja incluso nas decisões do Democratas aqui em Mato Grosso. Não há ninguém excluído. O Júlio participou das reuniões e sabe que todos foram ouvidos”, afirmou o presidente.  

 

A comissão tem duração de 90 dias e tem como objetivo preparar o partido para sua convenção em novembro deste ano, que deve atuar na construção de novos diretórios no interior do estado. Atualmente, o DEM só possui diretório organizado em 20 municípios,  em cujo os prefeitos são filiados ao partido. A intenção é que a sigla amplie sua atuação em Mato Grosso e chegue fortalecido às eleições municipais de 2020.

 

POSSÍVEIS INTERESSES 

 

Questionado se o episódio teria ligação com uma tentativa de barrar um possível apoio à candidatura de Emanuel Pinheiro (MDB) em 2020, Júlio Campos afirmou que não acredita nessa possibilidade. Para o ex-senador a confirmação ou não de uma coligação com o partido do atual prefeito de Cuiabá ainda está distante e há consideráveis chances do DEM lançar candidatura própria.  

 

“Estamos estudando a possibilidade de lançar candidatura aqui na capital e em pelo menos 50 municípios do estado. Só vamos pensar em coligação, qualquer que seja, se não tivermos candidatura própria, mas teremos esse posicionamento confirmado apenas em maio do próximo ano. Estamos estudando alguns nomes como de Roberto França, Gilberto Figueiredo, Mauro Carvalho e outros”, afirmou. 

 

Já Fábio Garcia foi enfático ao dizer que não concorda com qualquer possibilidade de apoio do DEM à candidatura do Pinheiro: “minha posição sempre foi muito clara, o Democratas deve buscar um novo projeto para Cuiabá, distante do projeto de reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro”.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet