Política Quinta-Feira, 15 de Agosto de 2019, 16h:55 | - A | + A

TURISMO DE PESCA

Há empresários e servidores entre pescadores profissionais

A afirmação é do governador Mauro Mendes. Para ele, o MPF tem que agir para coibir o crime no Estado

Suzi Bonfim

da Redação

 

Reprodução

PEIXE DOURADO

 

Entre os 100 mil pescadores profissionais de Mato Grosso pessoas que não têm nenhuma ligação com a categoria e recebem ilegalmente o benefício concedido pelo governo federal durante o período da piracema, quando a pesca é proibida para garantir a reprodução dos peixes. “Os dados que nós temos apontam que são empresários e servidores públicos que estão longe de viver da pesca  Isto é um problema do governo federal e do Ministério Público Federal. É crime se apropriar de dinheiro público, muitos recebem do seguro defeso”, constatou o governador Mauro Mendes em relação à polêmica em torno do projeto de lei 668/2019, do Poder Executivo que proíbe o transporte e comercialização de peixes nativos de Mato Grosso por 5 anos, a partir de 2020. 

 

O projeto está em tramitação na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) e abriu o debate em inúmeras audiências públicas no Estado. Mauro Mendes garante que com a aprovação da lei também vão ser criados mecanismos de compensação transitórios para preservar aqueles que vivem, exclusivamente, da pesca. “Estamos estudando para que durante um período de transição haja um mecanismo de compensação para garantir a sobrevivência dos pescadores profissionais. O governo federal tem uma bolsa e o Estado estuda uma complementação”, destacou Mendes.

 

Segundo ele, projetos importantes de geração de emprego e renda na área do turismo estão em fase final de elaboração, nos municípios de Santo Antônio de Leverger e Barão de Melgaço  “numa visão diferente do que existe hoje na região”. Apesar de o turismo da pesca ter um gigantesco potencial em Mato Grosso, não há o retorno na mesma proporção. Mauro Mendes apontou que no Brasil, mais de 100 mil brasileiros se deslocam por ano para a Argentina para pescar porque lá tem peixe. “Aqui, nós temos a única pousada com 100% de lotação durante todo ano e é onde você pode pescar, mas não pode transportar. É uma janela de oportunidade para darmos uma guinada, neste caso. Estamos há décadas falando no turismo no Pantanal ele ainda pífio perante as nossas potencialidades e a perspectiva que tem”, avaliou o governador.

 

Um exemplo de como a lei da Cota Zero pode recuperar a população de peixes nos rios mato-grossenses é a espécie dourado é a recente demanda dos americanos. Um avião dos EUA veio para pescar dourado no Estado em Mato Grosso. A pesca do dourado foi proibida há alguns anos e hoje atrai  turistas “Quanta riqueza e geração de empregos este turismo pode ter no nosso Estado se a gente recuperar a volume de peixes”, 





VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet