Política Quarta-Feira, 29 de Julho de 2020, 11h:42 | - A | + A

PRESSÃO DO COMÉRCIO

"Ideal seria trancar 700 mil pessoas em casa", diz prefeito de Cuiabá

Apesar da retomada de todas as atividades comerciais, as festas, atividades de lazer em parques e qualquer tipo de aglomeração continuam proibidas.

Ana Adélia Jácomo

Da Redação

Prefeitura de Cuiabá

Emanuel Pinheiro

 

Após quatro meses de determinações por isolamento social, o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) disse nesta quarta-feira (29) que existe uma parte da população que não aceita as orientações para conter o avanço da pandemia da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

 

Segundo ele, é impossível para a Prefeitura conseguir fiscalizar todas as aglomerações e o ideal seria “trancar quase 700 mil pessoas em casa”. Após decreto estadual, Emanuel divulgou nesta semana os novos horários de funcionamento e as normas restritivas de biossegurança do comércio na capital. (Veja em anexo no final da matéria os detalhes).

 

Apesar da retomada de todas as atividades comerciais, o prefeito afirma que as festas, atividades de lazer em parques e qualquer tipo de aglomeração continuam proibidas. O toque de recolher continua vigente das 22h até as 5h.

 

“Tem uma faixa da população que não está levando essa questão da gravidade que o assunto requerer e ainda temos essa parte da população que precisa ajudar. Não se resolve uma pandemia por decreto. Se todo mundo fizesse sua parte, não precisaria de decreto, de fiscalização, cada um entenderia que é responsável pela saúde e vida de todos. Você não consegue trancar 700 mil cuiabanos dentro de casa, e seria o ideal”, disse ele.

 

Em entrevista à Rádio Jovem Pan, o prefeito tomou como exemplo um fato que ocorreu no último final de semana na Praça Popular, área no centro de Cuiabá que concentra bares, restaurantes e espaços de lazer com muita concentração de pessoas.

Internauta

praça popular lotada

No último final de semana Praça Popular ficou lotada de clientes nos bares

 

Imagens feitas por populares mostraram uma grande circulação de pessoas no local, com os estabelecimentos comerciais lotados de clientes sem máscaras e com as mesas bem próximas umas das outras. De acordo com o decreto, os bares e restaurantes podem abrir as portas de segunda a sábado, das 11h às 21h.

 

“Infelizmente, o cenário da Praça Popular no último final de semana demonstra que precisam de regras, leis e fiscalização rígida para quem insiste em achar que a pandemia é brincadeira”.

 

Pressão do comércio

 

Emanuel afirmou ainda que vem sofrendo pressões por parte dos donos dos referidos estabelecimentos, já que muitos abrem apenas no período noturno, e com a restrição de horários teriam suas atividades prejudicadas.

 

“As pessoas precisam trabalhar, no setor produtivo o colapso está vindo, a quebradeira tá grande no comércio, isso gera desemprego, é um drama muito grande. O comportamento da sociedade, as pressões, as decisões judiciais, acabam fazendo essa relação um pouco turbulenta”, avaliou ele.

 

De acordo com o Painel Covid-19 da Prefeitura de Cuiabá, até esta terça-feira (28) haviam 10.511 casos confirmados da doença, 504 mortes de residentes e 245 óbitos de não residentes. Existem 516 pessoas internadas.

 

Veja no anexo abaixo as regras com novos horários de funcionamento dos comércio em Cuiabá:

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

ANEXOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet