Política Domingo, 08 de Setembro de 2019, 07h:00 | - A | + A

ENTREVISTA DA SEMANA

Lucimar Campos: fizemos em 4 anos aquilo que não fizeram em 12 anos

A prefeita de Várzea Grande, segundo maior município do Estado, avalia gestão.

Suzi Bonfim

Prefeitura de Várzea Grande

Prefeita de VG, Lucimar Campos

 

Há quase cinco anos como prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, 65 anos, exerce o segundo mandato com uma agenda repleta de inaugurações. Com o aval de boa parte da população, ela falou ao PNBONLINE sobre sua atual gestão, as medidas para tentar recuperar o status de Cidade Industrial, mas evita falar sobre nomes para sua sucessão. Confira a entrevista:

 

PNBONLINE - Faltando pouco mais de um ano para o fim da sua gestão na Prefeitura de Várzea Grande, como a senhora avalia os investimentos em áreas como educação e saúde? 

 

Lucimar Sacre de Campos: Nós estamos fazendo na educação, esporte, lazer e cultura uma gestão completamente diferente, com qualidade, oferecendo às crianças uma alimentação invejável, um trabalho integrado com a saúde. São distribuídos, anualmente, R$ 9 milhões em merenda escolar, cujos cardápios são elaborados por nutricionistas e seguem o padrão de excelência. Temos 27 mil alunos e todos receberam no início do ano, uniformes completos. 

 

Nosso Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) está magnífico. Temos a escola de tempo ampliado com dedicação e responsabilidade. A nota menor das nossas crianças é  6,0 e, considerando o contexto do município, seria 5,5. 

 

Além da melhoria física nas escolas de educação básica, elaboramos um cronograma de manutenção nas unidades de ensino básico e estamos construindo 16 creches, os Centros Municipais de Educação Infantil (CEMEIs). Destas, quatro foram concluídas e a previsão é a entrega das demais unidades até o final de 2020.

 

No setor de esporte temos investimentos na construção de unidades poliesportivas, espaços fitness, inauguração de miniestádio além da entrega da via 31 de Março com 12 modalidades esportivas. Estamos presenteando o varzeagrandense, fazendo mais miniestádios, com a entrega do ginásio de esporte Fiotão, prevista para este segundo semestre, e com investimentos de R$ 8,4 milhões, um dos maiores marcos do setor e que está sendo aguardado pela população.

 

Já na saúde temos feito uma reformulação no setor, que também tem recebido consideráveis investimentos. Com R$ 150 milhões de investimentos/ano, a administração tem aplicado acima do que prevê a legislação, 15%, sendo que o município aplica 28% a 29% de acordo com a dotação orçamentária.

 

Garantimos a manutenção de Unidades Básicas de Saúde (UBSs), além da inauguração de cinco novas unidades; a ampliação e modernização do Hospital e Pronto Socorro de Várzea Grande; a inauguração de duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), construídas no bairro Ipase e na região do grande Cristo Rei. Além de investir na compra de equipamento de ponta para a realização de exames de alta complexidade.

 

A entrega do Centro de Distribuição do Medicamentos (Cadim) também marca a excelência do setor que além de ganhar um espaço moderno e totalmente climatizado, garante que os medicamentos e insumos hospitalares sejam acondicionados em um ambiente amplo e seguro. Hoje o município conta com um estoque de medicamento e insumos hospitalares no valor de R$ 8 milhões.

 

Também estamos levando infra-estrutura aos bairros. O sonho do varzeagrandense é o asfalto e vamos executar mais de 300 km de recapeamento do asfalto. Isso me deixa gratificada porque é um trabalho zeloso que as pessoas nem acreditam que nós estamos fazendo. Várzea Grande não pode parar. A nossa gestão é justamente para recuperar uma cidade tão primorosa como já foi um dia, uma cidade industrial.


PNBONLINE - O que ainda é “o calcanhar de Aquíles” da gestão, o que precisa melhorar?

 

Lucimar Sacre de Campos - Tudo precisa melhorar. Mas, acredito que junto com os nossos servidores, equipe de secretários e vereadores estamos levando o melhor para a cidade. Existe muito trabalho realizado e muito a ser feito ainda. 

Quero agradecer o apoio de todas as pessoas que estão ao nosso lado e mais do que tudo quero agradecer ao Jayme, como meu marido, meu irmão, meu amigo, meu companheiro, meu tudo. Que nos inspira para podermos fazer mais. 

Muita gente critica mas, eu te pergunto: eu já fui primeira-dama, estive ao lado dele, completamente, de manhã, de tarde, de noite, de madrugada. Temos 43 anos de casados, sempre estivemos um ao lado do outro nos ajudando mutuamente. Isso é muito bom, né? Além disso, o melhor é a amizade e o companheirismo dos nossos secretários que trabalham diuturnamente. O nosso vice-prefeito (José Hazama) que está nos ajudando com muito compromisso e responsabilidade. 

 

PNBONLINE -  Como a senhora avalia os ataques da oposição, às vezes duros em função da sua condição de mulher? 

 

Lucimar Sacre de Campos - Não escuto essas críticas. Sabe por quê? Alguém da oposição já fez alguma coisa pela nossa cidade? Já fez algo igual ao que nós estamos fazendo ou que Jayme Campos, como prefeito e governador, sempre fez? Não. Pra que escutar?

 

PNBONLINE - O senador Jayme Campos disse que o grupo político tratar de reeleição hoje é traição contra a prefeita. O que a senhora acha?

 

Lucimar Sacre de Campos -  É que ainda falta muito tempo para acabar nossa gestão. Não é hora de falar sobre isso. Estamos empreendendo e não podemos parar de trabalhar para pensar em uma coisa que é pro ano que vem,. Ele (Jayme) disse isso para trabalharmos hoje e amanhã. Vai ter o dia certo para pensarmos nisso. 

 

PNBONLINE - Há um recurso no Tribunal Superior Eleitoral interposto pela coligação “Mudança com Segurança”, do candidato a prefeito derrotado no pleito, Pery Taborelli (PSC), contra seu mandato. Como está sua situação na Justiça Eleitoral?

 

Lucimar Sacre de Campos -  A justiça é unânime em mostrar que nós não fizemos nada de errado. Não tenho o que falar porque quem me acionou na justiça são pessoas inoperantes, incapacitadas, que já tiveram a oportunidade de mostrar serviço e nada fizeram. Ao contrário, a cidade enfrentou momentos difíceis. 

 

PNBONLINE -  A senhora pode ser candidata à reeleição?

 

Lucimar Sacre de Campos - Não posso, justamente, porque é meu segundo mandato. O primeiro foi um mandato atípico [assumiu a prefeitura em 8 de maio de 2015, com a cassação do então prefeito Walace Guimarães (PMDB) e o vice Wilton Coelho (PR)]  e, no segundo mandato, em 2016, ganhamos com 80% do votos. Agora, não posso ser candidata. Mas, já fizemos em quatro anos aquilo que não fizeram em 12 anos quando Várzea Grande esteve parada. 

 

PNBONLINE - Nos bastidores da política, especula-se o lançamento da candidatura do deputado federal Emanuelzinho à sua sucessão: como a senhora vê esta possibilidade?

 

Lucimar Sacre de Campos - Todos são bons nomes. O importante é que Várzea Grande saiba escolher uma pessoa honrada, digna e que tenha condições de batalhar bastante pelo nosso povo, porque ele merece. 

 

PNBONLINE - Qual será a melhor solução para o VLT, que também afeta Várzea Grande?

 

Lucimar Sacre de Campos - Defendo que este modal de transporte coletivo saia do papel, pois a população merece um transporte de qualidade, lembrando que o usuário paga pelo serviço e, portanto, tem que receber um serviço de melhor qualidade. Nosso sistema de transporte coletivo é funcional e atende a demanda, mas não da maneira como deveria e isto acaba levando a críticas por parte da população usuária, estimada em quase 300 mil pessoas diariamente utilizando ônibus ou mesmo aplicativos de transporte. 

 

Tenho convicção de que o governador Mauro Mendes, que detém a responsabilidade pelo transporte de massa das duas principais cidades de Mato Grosso, Cuiabá e Várzea Grande, saberá qual a melhor medida a ser adotada, pois existem obrigações que devem ser consideradas, já que estamos falando de um modal de transporte eficiente, moderno, mas de alto valor e com despesas altas. É claro que a preferência do usuário tem que ser levada em consideração e ele prefere o VLT, mas é necessário que vejamos a questão dos custos para amanhã ou depois não tenhamos uma passagem com valores também altos.

 

Várzea Grande e Cuiabá têm que participar de forma mais ativa desta decisão, pois ambas as cidades ficaram com os prejuízos de uma obra paralisada e dos efeitos negativos para o comércio e a indústria, portanto, nada mais justo que essa decisão ser conjunta com o Governo do Estado e as prefeituras.

 

PNBONLINE - Como está a parceria administrativa entre a prefeitura e o governo Mauro Mendes? A relação é boa ?

 

Lucimar Sacre de Campos - Sim, sempre. Mauro é um grande governador. 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet