Política Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2020, 10h:44 | - A | + A

TRIBUTAÇÃO

Mauro Mendes quer ‘acareação’ sobre aumento de preços

Governador disse que quer convocar setores do comércio para debate com Sefaz para esclarecer novas regras de tributação, com transmissão ao vivo para população.

Da Redação

(Foto: Christiano Antonucci / Governo de Mato Gros

Mauro Mendes.jpg

 

O governador Mauro Mendes (DEM) disse na manhã desta sexta-feira (24.01) que pretende fazer uma reunião aberta com representantes do Governo do Estado e setores do comércio e serviços para debater e informar a população com relação à tributação e aumento de preços no Estado. A declaração é mais um capítulo da polêmica envolvendo Estado e o comércio sobre mudanças na tributação e que resultou em aumento de preços para o consumidor.

 

“Semana que vem vamos convocar todos os setores. Vamos colocar técnicos da Secretaria de Fazenda, o secretário de Fazenda e representantes de todos os setores para fazer um debate público e esclarecer de uma vez por todas. E vai ficar claro de quem é a culpa de todos esses aumentos”, disse Mendes.

 

Segundo o governador, alguns comerciantes estão aumentando os preços de produtos de forma abusiva e culpando o governo por aumento de tributação. De acordo com o governo, o que está ocorrendo é aumento da margem de lucro por parte dos empresários e não reflexo da redução dos incentivos fiscais do ICMS. 

 

“Uma redução de até 4% nos incentivos do ICMS, que aconteceu em alguns setores, não justifica aumentos nos preços acima de 10%, como temos visto no comércio. Tem setores, na verdade, que aproveitaram a reinstituição dos incentivos fiscais para repassar para o consumidor preços que não condizem com a real situação fiscal”, pontuou o secretário chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.

 

Fecomércio e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) também vieram a público para reclamar do Governo do Estado com relação à política de tributação e discordar dos argumentos do Executivo Estadual. “Temos que acabar com a discussão de um ficar empurrando para o outro o problema. Quem tem que assumir a responsabilidade disso (a mudança na forma de arrecadação do ICMS) é o gestor público, com hombridade, caráter, com a convicção da mudança. Não estamos dizendo que ele teve uma atitude errônea mas, que o fato aconteceu e que quando tomou a decisão ela tem consequências, não adianta empurrar para o outro”, reclamou o vice-presidente da Câmara Dirigentes Lojistas (CDL) de Cuiabá, Célio Fernandes.

 

O debate público anunciado pelo governador Mauro Mendes ainda não tem data marcada para ocorrer.

 

Leia também:

 

"Governo tem que assumir o ônus do problema do ICMS", diz CDL

 

Aumentos maiores que 4% são margem de lucro, diz chefe da Casa Civil

 

Fecomércio e Governo tentam chegar a acordo sobre Margem de Valor Agregado

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet