icon clock h

Quinta-Feira, 08 de Abril de 2021, 09h:50 | - A | + A

SEM COMPROVAÇÃO

Prefeito e médico de Sinop indicam tratamento precoce contra Covid-19

Prefeito garante ter conhecimento da eficácia do tratamento e que faz doação de remédios

Capital Notícias

Assessoria

Dorner posse

 Roberto Dorner, prefeito de Sinop

Sem nenhuma comprovação científica, o prefeito de Sinop, Roberto Dorner, defende o tratamento precoce contra a Covid-19 e orienta os moradores a usarem os medicamentos do “Kit-Covid”, caso sintam algum sintoma da doença. “Que a população fique sabendo, que tudo isso é muito importante pra população, que venha por acaso contrair, ou sentir esses sintomas já imediatamente fazer esse tratamento precoce”.

 

No Kit contém Cloroquina, Vitamina D, Ivermectina e Zinco. Em um vídeo publicado nas redes sociais da prefeitura de Sinop, (Assista no final desta matéria),  Dorner ainda afirma que a população pode ter acesso aos medicamentos de forma gratuita. “O remédio não é problema, nós temos na prefeitura”.

 

Contrariando as indicações das organizações de saúde, o prefeito de Sinop diz ter ciência sobre os remédios e do tratamento. “Eu, como já tenho conhecimento do tratamento precoce, tô pedindo à população que venha fazer esse tratamento precoce, porque é importante pra população e nós temos na prefeitura esse tratamento”. 

 

Porém, de acordo com a Universidade Federal de Medicina de Minas Gerais, (UFMG), não há tratamento medicamentoso que comprovadamente previna ou cure a covid-19. Pelo contrário, evidências científicas mostram que além de não darem resultado, medicamentos do chamado “Kit covid” podem causar danos ao organismo.

 

A indicação do chefe do Executivo de Sinop foi alvo de críticas nas redes sociais. "Totalmente irresponsável, nenhum lugar no mundo tem esse tipo de discurso por isso que estão bem a frente ao combate contra covid! Esse discurso é sem base em fatos científicos, basta olhar no site da OMS, ao invés de gastar tanto dinheiro com Kits sem comprovação científica contra Covid deviam investir em compras de vacina pois elas sim são garantias pra vida...to abismada, bora denunciar esse post como fake news", escreveu uma internauta.

 

Também há quem defenda o uso e apoie o prefeito. "Concordo com o tratamento precoce . Ele ajuda muito. Já ouvi isso de muitos médicos de fora", escreveu a apoiadora do tratamento.

 

Médico e clínico geral, Miranda, que também aparece no vídeo defendendo o tratamento precoce, afirma que o uso dos medicamentos deve ser logo no começo da doença. “Deu os primeiros sintomas de febre, gripe, já vai ao médico. Aonde ele vai tratar o vírus na primeira fase. Então eu sou a favor sim”.

 

Medicamentos sem comprovação científica


A Ivermectina é um dos medicamentos que fazem parte do kit distribuído por algumas prefeituras e redes de saúde. O medicamento antiparasitário tem ação contra vários parasitas como a lombriga e o piolho, mas não tem eficácia contra a covid comprovada por estudos mais rigorosos e publicados em revistas científicas de impacto. O uso dele contra o coronavírus não é indicado por entidades médicas e farmacêuticas, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela própria fabricante do medicamento.

 

Um estudo publicado na revista Revista da Associação Médica Americana (JAMA), avaliou se a ivermectina resultaria na melhora dos sintomas das pessoas infectadas com a covid quando usada nos primeiros dias de infecção, como orienta o clínico geral ao lado doprefeito de Sinop no vídeo. Ocorre que o resultado foi de que o remédio não fez diferença quando usado precocemente. 

 

A Cloroquina e Hidroxicloroquina também estão incluídas no “Kit-Covid”. O uso dos medicamentos, indicados para tratamento de doenças como malária e artrite reumática, é alvo de críticas de cientistas e entidades nacionais e internacionais, como a própria Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Não existe nenhuma comprovação de que os medicamentos atuem contra o coronavírus. Pelo contrário, já foi demonstrado em estudo feito em grupo de pessoas que a melhora no grupo que usou os medicamentos foi idêntica ao grupo que não tomou.

 

Danos ao organismo


Consumir medicamentos sem eficácia comprovada pela ciência pode causar prejuízos para o corpo. Ainda de acordo com a UFMG, médicos do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) e do Hospital da Universidade de Campinas (Unicamp) concluíram que o uso indiscriminado do medicamento Ivermectina levou pacientes a desenvolverem graves lesões no fígado, demandando até a necessidade de transplante.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS




Informe Publicitário






NEWSLETTER

Cadastre-se e fique por dentro dos últimos acontecimentos e relatos do pnbonline.