icon clock h

Quarta-Feira, 06 de Fevereiro de 2013, 16h:12 | - A | + A

Silval manda recolher máquinas e deputados se revoltam

Michely Figueiredo

silvalllA sessão matutina da Assembleia Legislativa foi marcada, nesta quarta-feira (06), por discursos indignados dos parlamentares com o governador Silval Barbosa (PMDB). A revolta dos deputados surgiu depois de receberem informações de prefeitos do interior de que o governo do estado estava solicitando a devolução de maquinários cedidos para a manutenção de estradas estaduais e vicinais.

Nesse período do ano, as máquinas são de fundamental importância para garantir a trafegabilidade naquelas estradas que não são pavimentadas. Mesmo com o trabalho feito pelas prefeituras, os atoleiros são inevitáveis. "Não dá para admitir parar o trabalho emergencial agora", declarou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Riva (PSD).

Nesta terça-feira, aproximadamente 25 prefeitos entraram em contato com o presidente da Assembleia para avisar que se os maquinários fossem recolhidos, as estradas ficariam interditadas. Dificuldades já são enfrentadas pelos municípios justamente porque o governo do estado não tem feito o repasse de óleo diesel necessário para ligar as máquinas. "O governo do estado tem que fazer a parte dele e repassar o óleo diesel. Mesmo as máquinas estando sucateadas, ajudam os municípios", disse Riva.

Até agora, 24 patrulhas faziam os trabalhos no interior do estado. Cada uma delas é composta por 1 pá hidráulica, 5 caminhões basculantes, 2 motoniveladoras, 1 prancha e 1 comboio lubrificante. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Transporte e Pavimentação Urbana (Setpu), os reparos já foram paralisados em todo o estado.

O governador chegou a garantir ao presidente da Assembleia que deixaria as patrulhas à disposição dos prefeitos desde que as prefeituras assumissem as responsabilidades sobre os consórcios.

O deputado Baiano Filho (PMDB) disse não concordar com tal atitude, porque os maquinários seriam usados de forma equivocada se não houvesse um acompanhamento do governo do estado, como já aconteceu. O Ministério Público flagrou maquinários sendo utilizados por prefeitos em propriedades particulares.

"O certo é colocar um gerente regional junto com os prefeitos e buscar um entendimento com o objetivo de atender as principais demandas das rodovias de Mato Grosso".

O parlamentar continuou dizendo que hoje a situação dos consórcios é crítica. "Os consórcios hoje são mal gerenciados. As patrulhas estão sem pneus. Incompetência do secretário que infelizmente não tratou com seriedade o equipamento do estado de Mato Grosso. Parar tudo o que está fazendo é brincar com a classe produtora".

O presidente da Assembleia Legislativa lembrou que em setembro do ano passado uma discussão em torno dessa questão foi travada no parlamento. "Desde setembro dizíamos que o estado ficaria interditado. Houve um desmonte dos consórcios. Os prefeitos não tiveram condições de trabalhar. Não houve organização. Se a Setpu estivesse no interior ajudaria, mas não tivemos essa presença. Vai ser desastroso tirar as máquinas. Vamos ficar com carretas atoladas nas estradas".

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS




Informe Publicitário






NEWSLETTER

Cadastre-se e fique por dentro dos últimos acontecimentos e relatos do pnbonline.